Exército da Nigéria impõe toque de recolher de 24 horas em cidade

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Moradores de regiões de Maiduguri, capital do Estado de Borno, devem permanecer em suas casas; três Estados no nordeste do país estão em estado de emergência desde quinta

O Exército da Nigéria declarou um toque de recolher de 24 horas neste sábado (18) em bairros na cidade de Maiduguri, no nordeste, que abriga uma rede de extremistas islâmicos. Soldados mantém a campanha desde que foi decretado o estado de emergência pelo governo.

Nigéria: Tropas atacam acampamentos de extremistas no nordeste

Leia mais: Nigéria envia tropas ao nordeste do país para combater extremistas

Reuters
Soldados realizam uma parada no vilarejo de Baga nos arredores de Maiguri, no Estado de Borno, Nigéria

Goodluck Jonathan: Presidente da Nigéria declara estado de emergência em três Estados

Em comunicado divulgado neste sábado, o tentente-coronel Sagir Musa listou 11 áreas de Maiduguri, capital de Borno, onde os moradores devem permanecer em casa até novo aviso. Musa disse que o toque de recolher era em parte por causa da ofensiva militar colocada em vigor desde o decreto de estado de emergência na quinta-feira nos Estados de Adamawa, Borno e Yobe.

Os soldados prenderam cerca de 65 suspeitos de envolvimento com os extremistas que "tentam infiltrar-se em Maiduguri" após ataques do Exército a acampamentos próximos a uma reserva florestal. Segundo o brigadeiro-general Chris Olukolade, soldados mataram outros 10 supostos extremistas.

Dia 7 de maio: Ataques de extremistas deixam 55 mortos no nordeste da Nigéria

Fevereiro: Mulheres da equipe de vacinação contra pólio são mortas na Nigéria

Sob a ordem do presidente, os soldados possuem o controle total em questões de segurança nos Estados de Borno, Adamawa e Yoba. Nos últimos dias, moradores e repórteres da AP testemunharam a chegada de comboios de soldados em tanques e ônibus à região, bem como caminhões carregando homens armados.

Essa nova campanha do Exército complementa um envio anterior de soldados e policiais para a região. Aquele, no entanto, foi incapaz de conter a violência praticada pelo Boko Haram, que significa "a educação Ocidental é um sacrilégio" na língua hausa do norte da Nigéria. Segundo uma contagem feita pela AP, o grupo matou mais 1,6 mil desde 2010.

De 2009 a 2012: Boko Haram deixou quase mil mortos desde 2009, diz relatório

No sábado, Olukolade pediu ao público que informasse as autoridades caso vissem qualquer um tentando comprar gasolina em grandes quantidades. "Alguns dos insurgentes fugitivos de vários acampamentos estão a procura de combustível", disse.

Com AP

Leia tudo sobre: nigériaexércitomaiduguriboko haramyorbebornoadamawa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas