Tropas atacam acampamentos de extremistas na Nigéria

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo uma autoridade da Defesa, 21 supostos integrantes do Boko Haram foram mortos; em outra cidade, tiroteio entre militares e insurgentes deixou outros quatro mortos

Soldados no nordeste da Nigéria dispararam nesta sexta-feira (17) contra acampamentos suspeitos de abrigar extremistas islâmicos na primeira ação do Exército em uma nova ofensiva contra os insurgentes, deixando ao menos 21 mortos, informou uma autoridade de Defesa.

Os combates foram realizados na Reserva Florestal Sambisa, ao sul de Maiduguri, capital do Estado de Borno, onde soldados já haviam feito uma caçada aos combatentes pertencentes à rede extremista conhecida como Boko Haram.

Leia mais: Nigéria envia tropas ao nordeste do país para combater extremistas

Reuters
Soldados realizam uma parada no vilarejo de Baga nos arredores de Maiguri, no Estado de Borno, Nigéria

Goodluck Jonathan: Presidente da Nigéria declara estado de emergência em três Estados

Soldados iniciaram o ataque na Reserva Florestal Sambisa na quinta-feira. Eles foram enviados ao local depois que o presidente Goodluck Jonathan decretou estado de emergência em Borno, Yuba e Adamawa, todos na região nordeste do país. Os disparos com canhões deixaram ao menos 21 suspeitos mortos.

Ao mesmo tempo, homens armados lançaram ataques na cidade natal dos ex-líderes militares da Nigéria a centenas de quilômetros do local, atirando contra uma delegacia e bancos. Um tiroteio entre soldados e insurgentes do Boko Haram também foi registrado em outra cidade.

Dia 7 de maio: Ataques de extremistas deixam 55 mortos no nordeste da Nigéria

Fevereiro: Mulheres da equipe de vacinação contra pólio são mortas na Nigéria

Os insurgentes islâmicos usam uniformes camuflados semelhantes àqueles das tropas do governo para realizar ataques violentos contra civis, dando a impressão de que são as forças governamentais os responsáveis pelos seus atos, informou nesta sexta o major-general Bola Koleosho, durante coletiva em Abuja.

Koleosho afirmou que no tiroteio na cidade de Daura, ao norte da Nigéria, próximo à fronteira com o Níger, dois soldados do governo e dois membros do Boko Haram morreram e um oficial ficou ferido. Outros três insurgentes morreram em uma batida de carro enquanto tentavam fugir do local. Segundo Koleosho, foram encontrados alguns explosivos improvisados no veículo.

De 2009 a 2012: Boko Haram deixou quase mil mortos desde 2009, diz relatório

Abubakar Shekau: Líder de facção islâmica desafia presidente da Nigéria em vídeo

"Não saíremos da floresta até que isso tenha um fim", disse uma autoridade à agência Associated Press, se referindo ao estado de emergência.

Sob a ordem do presidente, os soldados possuem o controle total em questões de segurança nos Estados de Borno, Adamawa e Yoba. Nos últimos dias, moradores e repórteres da AP testemunharam a chegada de comboios de soldados em tanques e ônibus à região, bem como caminhões carregando homens armados.

Essa nova campanha do Exército implementa um envio anterior de soldados e policiais para a região. Esse envio anterior, no entanto, foi incapaz de conter a violência praticada pelo Boko Haram, que significa "a educação Ocidental é um sacrilégio" na língua hausa do norte da Nigéria. Segundo uma contagem feita pela AP, o grupo matou mais 1,6 mil desde 2010.

Com AP

Leia tudo sobre: nigériaboko harambornoyobaadamawagoodluck jonathan

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas