Acusado de raptar mulheres em Ohio vai se declarar inocente, dizem advogados

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Defesa de Ariel Castro afirma que mídia retratou cliente como 'monstro' e que isso não é verdade; ele é suspeito de ter mantido vítimas em cativeiro por cerca de dez anos

O suspeito de sequestrar e manter três mulheres em cativeiro por mais de dez anos em Cleveland, Ohio, vai se declarar inocente, afirmaram seus advogados nesta quarta-feira (15).

Os advogados Craig Weintraub e Jay Schlachet afirmaram ao canal de TV WKYC que apesar de  Ariel Castro ter sido retratado pela mídia "como um monstro", seu cliente não é assim.

Na TV: Irmãos esperam que sequestrador de mulheres em Ohio 'apodreça na prisão'

DNA: Teste confirma sequestrador como pai de menina nascida em cativeiro em Ohio

AP
Ariel Castro foi indiciado por raptar e estuprar três mulheres em Cleveland, Ohio

Arlene Castro: Filha de acusado de raptar mulheres em Ohio pede perdão às vítimas

Weintraub declarou que é injusto e ofensivo "que a mídia e a comunidade queiram demonizar esse homem antes de saber a história inteira". Schlachet disse que os detalhes sobre a inocência de Castro "serão reveladas à medida que o caso progredir".

Weintraub também afirmou que Castro "ama muito" a filha que teve com a vítima de sequestro Amanda Berry enquanto ela estava em Cativeiro.

Fiança de US$ 8 milhões: Acusado de sequestrar três mulheres em Ohio vai a tribunal

Acusações: Homem é indiciado por rapto e estupro após libertação de mulheres em Ohio

Castro foi indiciado por raptar e estuprar Amanda Berry, Gina DeJesus e Michelle Knight. O Tribunal de Cleveland fixou contra ele uma fiança de US$ 8 milhões para poder responder aos crimes em liberdade.

As três mulheres foram sequestradas separadamente entre os anos 2002 e 2004. Elas foram encontradas juntas na residência de Ariel Castro, 52 anos, em 6 de maio, depois que Amanda conseguiu fugir da casa com a ajuda de um vizinho, após seu suposto sequestrador ter saído de casa.

Polícia em Ohio: Mulheres eram mantidas em cativeiro com cordas e correntes

6 de maio: Mulheres desaparecidas por uma década são encontradas nos EUA

Ariel Castro nasceu em Porto Rico e era proprietário da casa na Avenida Seymour desde 1992. Seu emprego mais recente foi como motorista de ônibus escolar.

A polícia já havia ido à casa dele em duas ocasiões. Uma em 2000, quando ele contatou policiais para informar sobre uma briga de rua, e em 2004, após ele ter esquecido uma criança em um ônibus escolar - o que pode ter colaborado para sua demissão no cargo de motorista. Uma investigação sobre o incidente determinou que não houve indícios de um crime.

A polícia acusa Castro de ter engravidado a refém Michelle Knight por ao menos cinco vezes. Em todas elas, ele provocou seu aborto, fazendo com que a mulher passasse fome e dando socos em sua barriga. Amanda Berry foi forçada a dar à luz sua filha em uma piscina de plástico de crianças.

Com AP

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas