Homens armados sequestram filho de ex-premiê do Paquistão

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Candidato em eleição local, Ali Haider Gilani participava de comício eleitoral quando foi levado por homens armados; ao menos um guarda foi morto

Homens armados atacaram um comício eleitoral em Punjab, ao sul do Paquistão, e sequestraram o filho de um ex-primeiro-ministro, intensificando a violência às vésperas da eleição nacional de sábado. Ali Haider Gilani, o filho do ex-premiê Yousuf Raza Gilani, do Partido do Povo Paquistanês, concorre a um assento em uma assembleia provincial no distrito de Multan.

Saiba também: Explosão em comício de partido islâmico mata 14 no Paquistão

Reuters
Ali Haider Gilani, filho do ex-premiê do Paquistão Yusuf Raza Gilani, fala durante encontro de campanha

Leia mais: Promotor no caso da morte de Benazir Bhutto é assassinado no Paquistão

Ele participava do evento eleitoral na cidade de Multan nesta quinta-feira (9), último dia de campanha no Paquistão, quando homens armados chegaram atirando, apanharam Ali Haider Gilani e o jogaram no banco de trás de um veículo, informaram autoridades e testemunhas.

Um residente de Multan que estavam na marcha disseram a emissoras de TV locais que os homens estacionaram um carro e uma motocicleta fora do local onde Gilani conversava com centenas de partidários. Quando ele saiu do prédio, dois homens abriram fogo, deixando ao menos um morto. "Um dos homens pegou Haider, que tinha sangue em suas calças", disse Shehryar Ali em comentários transmitidos pelo canal de TV Geo News.

Líder militar: Polícia do Paquistão prende ex-presidente Musharraf

O ex-primeiro-ministro não estava no evento em que seu filho foi levado. Falando a repórteres na casa de sua família em Multan, o pai Gilani parecia comovido. Ele disse que dois dos guardas de seu filho foram mortos no ataque, mas que não tinha informações se o filho estava ferido. "Seus dois guardas estavam protegendo-o e eles morreram", disse o ex-premiê. "Eu peço a todos os meus partidários que continuem tranquilos e participem da votação."

O pai de Gilani foi premiê por quatro anos, mas foi forçado a deixar o cargo no ano passado pelo Supremo Tribunal Federal depois de se recusar a dar continuidade a um caso de corrupção contra o presidente Asif Ali Zardari.

Leia mais: Menina paquistanesa que levou tiro do Taleban passa bem após cirurgia

Em fevereiro: Ataque suicida atinge mesquita xiita no Paquistão

A corrida eleitoral do Paquistão foi marcada por uma série de ataques violentos contra candidatos e eventos eleitorais. Muito dos episódios foram provocados pelo Taleban. Gilani é candidato pelo Partido do Povo Paquistanês, um dos três partidos que o Taleban tem como alvo.

Autoridades do partido reclamam de falta de proteção e vulnerabilidade. "Estamos gritando que é necessário segurança para nossos candidatos. Estamos dizendo que recebemos ameaças, mas ninguém ouviu nossos pedidos, e não temos segurança", disse um porta-voz do partido, Sharmila Farouqi. "Agora vejam o que aconteceu. O filho de um ex-primeiro-ministro foi sequestrado."

Com AP

Leia tudo sobre: paquistãogilanisequestroviolênciaeleição no paquistão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas