Equador anuncia que vai aderir ao Mercosul

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Protocolo formal de adesão deverá ser assinado em julho, no Uruguai. Depois, a aceitação do Equador ainda terá que ser aprovada pelos Parlamentos dos cinco membros atuais

Agência Estado

AP
Presidente do Equador, Rafael Correa, negociava desde 2009 o ingresso no bloco

O Equador anunciou neste domingo que irá aderir ao Mercosul. O país era um dos três ainda em negociação para ingressar mas, na última reunião do bloco, em dezembro do ano passado, o presidente Rafael Correa levantou dificuldades sobre o processo, especialmente sobre o regime alfandegário ao qual o Equador teria que praticar.

Leia também:
Reeleição no Equador pode 'favorecer Brasil e Mercosul'

O protocolo formal de adesão deverá ser assinado na próxima reunião, em julho, no Uruguai. Depois disso, a aceitação do Equador ainda terá que ser aprovada pelos Parlamentos de todos os cinco membros atuais - inclusive o Paraguai, hoje suspenso, mas que deve ser reintegrado depois das eleições presidenciais realizadas no mês passado.

Em dezembro, Rafael Correa afirmou que havia "coincidências ideológicas" com os demais participantes do grupo, mas que para o Equador, que não possui uma moeda nacional, o que sobra para corrigir potenciais problemas no setor externo é a política comercial, que seria limitada com a adesão. A avaliação agora é que as mudanças não seriam tão significativas a ponto de ofuscar os benefícios da adesão.

O Equador negociava desde 2009 o ingresso no bloco, juntamente com a Bolívia. Em dezembro, quando não se esperava uma resposta positiva de nenhum dos dois países, o presidente boliviano chegou a Brasília disposto a assinar imediatamente a adesão, o que fez a Bolívia passar a ser considerada o sexto membro do Mercosul, ainda que em processo de adesão. Ainda negociam o ingresso no bloco: Suriname e Guiana.

Leia tudo sobre: EconomiaEquadorMercosulRafael Correaadesão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas