Choques entre policiais e manifestantes deixam 27 mortos em Bangladesh

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Polícia proibiu a realização de protestos para o resto do dia depois das mortes; manifestantes islâmicos exigiam que governo decretasse lei antiblasfêmia

A polícia proibiu a realização de manifestações na capital de Bangladesh para o resto desta segunda-feira (6) depois de confrontos entre policiais e um grande número de extremistas islâmicos exigindo uma lei antiblasfêmia terem deixado ao menos 27 mortos.

Leia também: Número de mortos em desabamento em Bangladesh passa de 600

Daca: Polícia de Bangladesh usa gás lacrimogêneo em protesto eleitoral

AP
Povo de Bangladesh procura pertences depois de confrontos entre policiais e extremistas islâmicos durante protesto em Savar perto de Daca


Leia mais: Foto no Facebook leva muçulmanos a queimarem templos em Bangladesh

Os manifestantes bloquearam as avenidas com pneus e pedaços de pau em chamas durante mais de cinco horas de confrontos. Eles também atacaram uma delegacia e atearam fogo em ao menos 30 veículos, incluindo carros da polícia.

Sob condição de anonimato, um policial disse à Associated Press que confrontos em Kanchpur, perto de Daca, deixaram 13 mortos, incluindo dois policiais e um soldado paramilitar. Ele disse que outros sete morreram em Motijheel, região comercial da capital.

A polícia Chittagong, cidade no sudeste do país, disparou contra ativistas islâmicos que a atacaram com barras de ferros e paus. Ao menos sete morreram, disse o policial Farid Uddin.

NYT: Fronteira entre Bangladesh e Índia abriga moradores sem cidadania

Segundo uma emissora de Bangladesh, a violência teve início depois que forças de segurança dispararam gás lacrimogêneo e balas de borracha contra manifestantes no distrito central.

A polícia metropolitana de Daca disse em um comunicado que todas as marchas e protestos foram proibidos na cidade até meia-noite na terça-feira por temores de mais conflitos.

Ativistas islâmicos organizaram protestos para pedir que o governo implemente uma lei antiblasfêmia. O governo da nação de maioria islâmica rejeitou o pedido, insistindo que Bangladesh é governada por uma lei secular.

No domingo, policiais dispararam balas de borracha para dispersar ativistas que jogavam pedras contra agentes. Autoridades afirmaram que uma pessoa morreu e outras 45 ficaram feridas.

Com AP

Leia tudo sobre: bangladeshdacaviolênciaprotesto

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas