Amigo do suspeito de ataque em Boston será libertado sob fiança

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Robel Phillipos, 19, foi acusado na semana passada de mentir para os investigadores sobre uma visita ao dormitório de Dzhokhar Tsarnaev três dias depois do ataque

A juíza Marianne Bowler concordou nesta segunda-feira em liberar da custódia federal um amigo de Dzhokhar Tsarnaev, suspeito de lançar o ataque à Maratona de Boston, enquanto ele espera pelo julgamento por ter supostamente mentido para investigadores do ataque do dia 15, que deixou três mortos e mais de 260 feridos.

Dia 1º: Mais três suspeitos são detidos por envolvimento em ataque a Boston

AP
Desenho judicial mostra réu Robel Phillipos (C) perto de seu advogado, Derege Demissie (E), e perante juíza Marianne Bowler durante audiência em Boston

Dor: Vítimas do ataque em Boston enfrentam longo caminho até recuperação

Ataque em Boston: Veja cronologia dos principais acontecimentos

Robel Phillipos, 19, foi acusado na semana passada de mentir para os investigadores sobre uma visita ao dormitório de Tsarnaev três dias depois do ataque. O estudante da University of Massachusetts Dartmouth enfrenta uma pena máxima de oito anos se for condenado.

Outros dois amigos foram acusados de conspirar para obstruir a justiça ao retirar uma mochila com fogos de artifício e um laptop do dormitório de Tsarnaev, que foi preso e continua em um hospital prisional. Ele foi indiciado sob acusação de uso de arma de destruição em massa e, se condenado, pode ser sentenciado à pena de morte.

Inteligência dos EUA na berlinda:
Obama anuncia revisão de inteligência sobre ataque em Boston
Legisladores verificam se houve falha de inteligência em ataque em Boston
Suspeito morto de ataque em Boston não estava em lista de vigilância terrorista
Suspeito de ataque em Boston estava em banco de dados da CIA há 18 meses

Os promotores inicialmente pediram que Phillipos ficasse preso enquanto espera o julgamento, argumentando que ele apresenta um grande risco de fuga. Mas ambos os lados disseram na moção judicial apresentada nesta segunda que concordam em permitir que Phillipos seja solto sob uma fiança de US$ 100 mil e sob a condição de que fique confinado em casa e use um bracelete eletrônico de monitoramento.

A juíza Marianne concordou com a prisão domiciliar durante uma audiência na tarde desta segunda. Ela disse a Phillipos que ele tinha permissão de deixar sua casa apenas para encontros com seus advogados ou por verdadeiras emergências.

Redes sociais: Universo virtual de suspeitos de ataque em Boston é esmiuçado link a link

Uma grande multidão de partidários, incluindo parentes, amigos e o diretor do segundo grau de Phillipos, acompanharam a audiência na corte judicial. Não ficou imediatamente claro quando Phillipos seria solto.

Enterro de Tamerlan

Também nesta segunda, Peter Stefano, diretor de uma funerária que tenta encontrar um cemitério que aceite enterrar o corpo de Tamerlan Tsarnaev, irmão de Dzhokhar e suspeito coautor do ataque em Boston, prometeu pedir a Cambridge que ele seja enterrado no cemitério da cidade pelo fato de os dois irmãos russos de etnia chechena terem morado no local na última década. Mas o gerente da cidade de Cambridge, Robert Healy, informou ter requisitado à família Tsarnaev que não faça o pedido.

Saiba mais: O que se sabe até agora dos irmãos Tsarnaev

AP
Tamerlan Tsarnaev sorri após ganhar um troféu por vencer competição de boxe em Lowell, Massachusetts (foto de arquivo)

"Os difíceis e estressantes esforços dos cidadãos de Cambridge para voltar para uma vida pacífica seriam impactados negativamente pelos tumultos, protestos e pela ampla presença da mídia", disse Healy em um comunicado no domingo.

Stefano não tem conseguido encontrar um cemitério no Estado de Massachusetts que aceite o corpo de Tamerlan, que foi morto em uma troca de tiros com a polícia quatro dias depois da explosão na maratona de Boston das duas bombas montadas dentro de panelas de pressão. Ele disse que se Cambridge rejeitar seu pedido, tentará ajuda de autoridades estaduais. Nesta segunda, ele afirmou que procura um local fora de Massachusetts e não acredita que a Rússia aceitará seus restos mortais.

Misha: Tamerlan foi influenciado por radical misterioso

Viagem à Rússia: Suspeito de ataque buscou lar em território marcado por violência

O governador Deval Patrick disse nesta segunda que a questão sobre o que fazer com o corpo é "familiar", que não deveria ser decidida pelo Estado ou pelo governo federal. Ele disse que os parentes têm "opções" e espera que tomem uma decisão em breve.

*Com AP

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas