Papa Francisco diz que está unido ao Brasil na beatificação de Nhá Chica

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Ela é a primeira negra a ser declarada beata no Brasil. Houve uma solenidade em Baependi, município que fica a 400 quilômetros de Belo Horizonte, que reuniu milhares de pessoas

Agência Brasil

O papa Francisco saudou neste domingo (5) os fiéis brasileiros ao dizer que está unido a todos pela beatificação de Nhá Chica. O anúncio da beatificação de Francisca de Paula de Jesus foi feito no sábado (4). O papa citou a beata durante missa celebrada neste domingo no Vaticano. Francisco também disse que reza pelas crianças vítimas de abusos. Segundo ele, é fundamental intensificar os esforços para proteger as pessoas em situação vulnerável.

Leia também:
Fiéis lotam cidade em Minas Gerais para acompanhar beatificação de Nhá Chica
Igreja anuncia Nhá Chica como primeira beata negra do Brasil

“Ontem, no Brasil, foi proclamada beata Francisca de Paula de Jesus, conhecida como Nhá Chica. A sua vida simples foi toda dedicada a Deus e à caridade, tanto que era chamada a Mãe dos Pobres. Estou unido à alegria da Igreja no Brasil por essa luminosa discípula do Senhor”, disse o papa.

Ocupação para nova UPP no Cerro-Corá entra “na conta do Papa”

Nhá Chica é a primeira negra a ser declarada beata no Brasil. Houve uma solenidade em Baependi, município mineiro que fica a 400 quilômetros de Belo Horizonte. A missa de consagração foi celebrada no Santuário Nossa Senhora da Conceição, onde estão os restos mortais de Nhá Chica.

Mariela Guimarães/O Tempo/Futura Press
Em Minas Gerais, igreja anuncia Nhá Chica como primeira beata negra do Brasil

O decreto de beatificação foi assinado pelo papa Bento XVI em junho de 2012. Em 2011, o Vaticano aprovou o registro de um milagre atribuído à Nhá Chica. A comissão começou os trabalhos em 1989. Em nota, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) destacou que a beatificação tem um significado importante para a Igreja.

Papa poderá visitar Theatro Municipal no Rio de Janeiro

Filha e neta de escravos, a beata era analfabeta e ficou órfã ainda na infância. Devota de Nossa Senhora da Conceição, viveu na pobreza e na simplicidade, e dedicou sua vida para servir as pessoas, especialmente na tarefa de escutar e aconselhar. Seu cuidado com os mais pobres rendeu-lhe o título de Mãe dos Pobres.

Em seguida, Francisco mencionou a busca pela defesa dos direitos daqueles que vivem em situação de vulnerabilidade. O papa apelou para que as ações de defesa e proteção sejam intensificadas como garantia de qualidade de vida para os vulneráveis.

“Dirijo meu pensamento a todos aqueles que sofreram e sofrem por causa dos abusos. Gostaria de assegurar que estão presentes na minha oração, mas gostaria de dizer ainda com força que todos devemos nos empenhar com clareza e coragem para que cada pessoa, especialmente as crianças, que se encontram entre as categorias mais vulneráveis, sejam sempre defendidas e tuteladas”, disse.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas