Mais três suspeitos são detidos por envolvimento em ataque a Boston

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Dois deles são colegas de faculdade de Dzhokhar Tsarnaev, suspeito sobrevivente de ter realizado o ataque, e são acusados de obstruir investigações e destruir evidências do crime

Dois colegas de classe de Dzhokhar Tsarnaev, o suspeito sobrevivente de ter realizado o ataque à Maratona de Boston, foram detidos nesta quarta-feira (1º) acusados de obstruir o trabalho da Justiça e destruir evidências ao jogar fora um computador e uma mochila contendo fogos de artifícios pertencentes a Dzhokhar.

Os detidos, Dias Kadybayev, 19 anos, e Azamat Tazhayakov, 19 anos, ambos cidadãos do Casaquistão com vistos de estudantes nos EUA, compareceram ao tribunal nesta quarta-feira, segundo informou o Departamento de Justiça.

Leia também: Obama anuncia revisão de inteligência sobre ataque em Boston

AP
FBI divulgou imagem dos fogos de artifício encontrados em uma mochila que foi descartada pelos amigos de Dzhokhar Tsarnaev


Ataque em Boston: Veja cronologia dos principais acontecimentos

Um terceiro suspeito, Robel Phillipos, 19 anos, de Cambridge, foi acusado de mentir para policiais federais durante investigações sobre o ataque à Maratona de Boston, segundo a queixa criminal contra os três suspeitos.

Duas bombas foram detonadas em 15 de abril perto da linha de chegada da maratona, deixando três mortos e mais de 260 feridos. Dzhokhar Tsarnaev e seu irmão Tamerlan Tsarnaev são suspeitos de estar por trás das explosões das bombas. Tamerlan morreu após troca de tiros com policiais dias depois do atentado. Seu irmão caçula Dzhokhar foi capturado e está preso em um centro de detenção médico.

Dias e Azamat já haviam sido detidos anteriormente por mais de uma semana acusados de ter violado seus vistos de estudante. 

O advogado dos estudantes cazaques disse, em rápida entrevista à imprensa, que seus clientes não tinham nada a ver com o ataque e estavam tão chocados com o crime como todos os outros. O advogado de Phillipos, Derege Demissie, disse fora do tribunal que a "única acusação é que ele fez uma deturpação".

Durante a audiência no tribunal, os alunos estrangeiros não pediram fiança e uma nova audiência foi marcada para 14 de maio. Phillipos terá uma outra audiência na segunda-feira (6).

AP
Estudante do MIT Hajar Boughoula, da Tunísia, escreve mensagem no chão com giz perto de memorial improvisado para vítimas de ataque em Boston

Corpo de Tamerlan

Os parentes de Tamerlan Tsarnaev vão reivindicar seu corpo agora que sua mulher concordou em liberá-lo, segundo informou um tio do suspeito morto. O corpo de Tamerlan, 26 anos, está no Instituto Médico Legal de Massachusetts desde sua morte há mais de uma semana.

A polícia afirmou que Tamerlan ficou sem munição e foi atropelado pelo irmão de 19 anos, que tentava fugir. A causa de sua morte já foi determinada, mas não será divulgada enquanto seus restos mortais não forem reivindicados por um familiar.

Inteligência dos EUA na berlinda:
Legisladores verificam se houve falha de inteligência em ataque em Boston
Suspeito morto de ataque em Boston não estava em lista de vigilância terrorista
Suspeito de ataque em Boston estava em banco de dados da CIA há 18 meses

"Claro, membros da família vão querer o corpo", disse o tio Ruslan Tsarni de Maryland a Associated Press na terça-feira à noite. "Faremos isso. Uma família é uma família."

Os pais dos irmãos Tsarnaev vivem na Rússia, mas eles têm outros parentes que vivem nos EUA, incluindo Tsarni. O pai deles, Anzor, chegou a anunciar na semana passada planos de viajar para os EUA para enterrar seu filho mais velho, mas desistiu por causa de problemas de saúde.

Dzhokhar foi ferido por balas durante a tentativa de fuga. Ele foi indiciado por usar uma arma de destruição em massa para matar, um crime que pode levar à pena de morte.

Dzhokhar Tsarnaev: Suspeito de ataque em Boston é transferido para prisão

Tamerlan: Suspeito de ataque em Boston foi influenciado por radical misterioso

Inteligência americana

As agências de segurança russas haviam colocado Tamerlan sob vigilância durante sua passagem de seis meses pelo Daguestão no ano passado, e tentou encontrá-lo quando ele desapareceu repentinamente depois da morte de um jihadista canadense pela polícia.

Policiais americanos tentam determinar se Tamerlan Tsarnaev foi doutrinado ou treinado por militantes durante sua visita ao Daguestão, província que se tornou o centro da insurgência islâmica na região do Cáucaso.

Segundo fontes, agentes de segurança russos suspeitaram que Tamerlan possuía ligações com o canadense - também de etnia russa chamado William Pltnikov.

NYT: Universo virtual de suspeitos de ataque em Boston é esmiuçado link a link

Terra natal dos suspeitos: Cáucaso russo é terreno fértil para o terrorismo

O presidente Barack Obama disse na terça-feira em uma coletiva que as agências contraterroristas dos EUA "fizeram o que tinham que fazer" antes do ataque à Maratona de Boston. "Queremos voltar atrás e rever cada passo que foi dado. Queremos ver se há, de fato, protocolos adicionais e procedimentos que poderiam ser colocados em prática para melhorar nossa capacidade de detectar um possível ataque."

Em Rhode Island, Amato DeLuca, advogado da viúva de Tamerlan Tsarnaev, disse que Katherine Russel se encontrou com policiais "por horas na semana passada" e continua cooperando com as investigações.

Com AP e Reuters

Leia tudo sobre: ataque em bostonbostoneuasuspeitoscia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas