Presidente afegão confirma entrega de dinheiro pela CIA

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Karzai diz que fundos mensais chegavam em 'pequenas somas' à sua equipe de segurança nacional e eram usados para ajudar feridos e doentes e para outros propósitos 'operacionais'

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, disse nesta segunda-feira que sua equipe de segurança nacional recebeu pagamentos do governo dos EUA durante os últimos dez anos.

NYT: CIA entregou milhões de dólares a gabinete presidencial afegão

AP
Presidente afegão, Hamid Karzai (E), cumprimenta primeiro-ministro finlandês, Jyrki Katainen, com presidente Sauli Niinisto ao fundo durante coletiva em Helsinki

Análise: Presidente afegão aposta em difamar EUA para anular imagem de fantoche

Karzai confirmou os pagamentos quando foi questionado sobre uma história publicada no jornal The New York Times afirmando que a CIA deu ao Conselho Nacional de Segurança Afegão dezenas de milhões de dólares em pagamentos mensais entregues em pastas, mochilas e sacolas plásticas.

Durante uma coletiva em Helsinki, Finlândia, onde estava em uma visita oficial, Karzai disse que bem-vindos pagamentos mensais não eram feitos em "grande quantidade" mas em "pequenas somas", apesar de não ter revelado o montante. Ele disse que o dinheiro era usado para dar assistência aos feridos e doentes, para pagar o aluguel de habitações e para outros propósitos "operacionais". Segundo ele, o auxílio foi "muito útil, e estamos muito gratos por ele".

Retirada: Obama e Karzai aceleram transição militar no Afeganistão

Otan: Afeganistão assumirá missões de combate em 2013

O jornal cita Khalil Roman, que serviu como vice-chefe de gabinete de Karzai de 2002 a 2005, caracterizando os amplos pagamentos como "dinheiro fantasma" que "chegavam em segredo e saíam em segredo". A publicação também cita autoridades americanas não identificadas dizendo que "o dinheiro estimulou a corrupção e fortaleceu os senhores da guerra, minando a estratégia de saída de Washington do Afeganistão".

Em Washington, o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, recusou-se a comentar a reportagem, redirecionando o questionamento à CIA, que também se negou a fazer comentários.

Desafio: Remoção de equipamentos é principal obstáculo na retirada do Afeganistão

Em 2010, o Irã reconheceu que enviava fundos ao vizinho Afeganistão há anos, mas disse que o dinheiro objetivava à reconstrução, e não para influenciar o presidente afegão. Karzai confirmou que recebia milhões de dólares em espécie do Irã e que Washington lhe dava "malas de dinheiro" também porque faltavam fundos em seu gabinete.

Na época, o então secretário de imprensa do presidente Barack Obama, Robert Gibbs, negou que o governo americano estivesse no "negócio das grandes malas de dinheiro", mas o ex-porta-voz do Departamento de Estado P.J. Crowley havia dito previamente que parte do auxílio americano ao Afeganistão era feito com dinheiro em espécie.

Cenário: Invasões e conflitos marcam história do Afeganistão

Saiba mais: Entenda por que o Afeganistão é estratégico

Autoridades dos EUA também afirmaram na época que o dinheiro fluindo de Teerã provava que o Irã desempenhava um jogo duplo no Afeganistão — cortejando o governo enquanto ajudava os militantes da milícia islâmica do Taleban a combater as forças dos EUA e da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte). O Irã negou as acusações.

*Com AP

Leia tudo sobre: afeganistãokarzaiciaretirada americana

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas