Empresário, que mora em Cambridge, afirma estar surpreso com o fato de um dos suspeitos ter estudado na mesma escola que sua filha de 15 anos: 'Ele era inteligente e amigável'

O brasileiro Yuri Ramos, morador de Cambridge (EUA), conta que o clima na região é de tensão
Arquivo pessoal
O brasileiro Yuri Ramos, morador de Cambridge (EUA), conta que o clima na região é de tensão

O brasileiro Yuri Ramos, que mora em Cambridge, nos Estados Unidos, foi acordado nesta sexta-feira (19) às 6h30 da manhã com uma mensagem no celular. A mensagem, enviada pela prefeitura, dizia que a cidade estava fechada, o transporte público - que atende 1 milhão e 300 pessoas - estava suspenso e que os moradores deviam permanecer em casa. Minutos depois, o telefone da casa tocou com uma mensagem gravada informando o mesmo. A escola da filha de Ramos também ligou avisando que as aulas estavam suspensas.

Leia mais:  'Suspeito número 1' de ataque em Boston é morto; polícia procura o segundo

Suspeitos: FBI divulga imagens de dois suspeitos de ataque em Boston

Ataque em Boston: Veja cronologia dos principais acontecimentos

“É um clima de muita tensão para cidades pacatas como Cambridge e Boston. As ruas estão quase desertas, só tem policial andando por elas. Um amigo meu tentou ir ao trabalho hoje de manhã e a polícia o mandou voltar para casa”, disse ao iG Ramos, que mora em Cambridge há quatro anos, desde que foi fazer MBA no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). Hoje, ele tem uma empresa de ensino à distância.

Vitor Pamplona conseguiu ir trabalhar em sua empresa em cidade vizinha de Cambridge (EUA)
Arquivo pessoal
Vitor Pamplona conseguiu ir trabalhar em sua empresa em cidade vizinha de Cambridge (EUA)

A polícia faz nesta manhã uma megacaçada a um dos suspeitos de realizar o ataque em Boston , que deixou três mortos e quase 180 feridos na segunda-feira (15). Identificado como  Dzhokhar Tsarnaev,  19 anos, o foragido teria provocado as explosões à bomba perto da linha de chegada da corrida. Tamerlan Tsarnaev, também identificado como suspeito pelo ataque, foi morto em uma troca de tiros .

Saiba mais: Leia todas as notícias sobre o ataque em Boston

Cidade: Polícia caça suspeito e ordena que moradores de Boston fiquem em casa

Ramos afirma estar impressionado com o fato de um dos suspeitos do atentado de Boston ser Dzhokhar. “Ele estudou no Cambridge Rindge & Latin School, a única escola de ensino médio pública de Cambridge e o mesmo colégio que a minha filha estuda”, disse. “A minha filha não o conhece, mas amigos que estudaram com o rapaz estão abismados com as notícias, pois afirmam que ele era muito inteligente e amigável”, disse.

O brasileiro Vitor Pamplona , que também mora em Cambridge, conseguiu sair de casa e ir trabalhar em sua empresa, na cidade de Someville, a 10 minutos do MIT. “Não é uma restrição. Os policiais pedem para ficar em casa e todo mundo fica. Recebi alerta de tudo quanto é lugar: da prefeitura, do MIT, de tudo. Há muito policial na rua também”, disse ao iG Pamplona, que mora em Cambridge há 3 anos e é dono de uma start-up. "A polícia é muito eficiente e logo esta situação muda e todos poderão sair de casa".

Suspeitos do ataque de Boston, Tamerlan Tsarnaev (esq.) foi morto pela polícia e Dzhokhar Tsarnaev (dir.) está foragido
AP
Suspeitos do ataque de Boston, Tamerlan Tsarnaev (esq.) foi morto pela polícia e Dzhokhar Tsarnaev (dir.) está foragido

Em panela de pressão: Bomba de ataque em Boston pretendia mutilar vítimas

Pistas: Investigadores encontram tampa de panela usada em bomba de Boston

Na madrugada desta sexta-feira, um policial do MIT foi morto e um guarda de trânsito foi ferido em um tiroteio. A polícia trabalha com a hipótese de que os dois homens responsáveis pelos episódios de violência sejam os mesmos suspeitos pelo ataque em Boston .

Veja imagens da perseguição aos suspeitos:

Um dos dois suspeitos foi morto na madrugada ao ser baleado pela polícia durante uma perseguição de carro em Watertown, a dez quilômetros de Boston. O segundo suspeito conseguiu escapar. Desde a madrugada, a polícia instalou uma caçada massiva.

Brasil: Copa e Olimpíadas serão seguras, diz Patriota após ataque em Boston

“Watertown fica a apenas 10 minutos da minha casa. A polícia está entrando de casa em casa, procurando o suspeito. Isto tudo é muito fora do comum no nosso dia-a-dia. Até mesmo a morte de um policial no campus da universidade seria um caso fora do comum aqui. É um clima de muita tensão”, disse.

*Com informações das agências internacionais

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.