Forte terremoto deixa dezenas de mortos no Irã e no Paquistão

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Tremor de magnitude de no mínimo 7,7 ocorreu em região próxima à fronteira com o Paquistão uma semana depois de outro terremoto ter matado 37

Um forte terremoto atingiu casas e prédios nos dois lados da fronteira entre o Irã e o Paquistão nesta terça-feira (16), deixando dezenas de mortos, incluindo 34 em uma cidade paquistanesa. O tremor foi sentido em Nova Délhi e em Dubai.

A agência semioficial iraniana Isna e outros veículos de imprensa locais descreveram o terremoto, com magnitude de no mínimo 7,7, como o mais forte em mais de 50 anos a atingir o país.

Há sete dias: Irã sofre terremoto perto de usina nuclear

AP
Prédios são esvaziados em Karachi, no Paquistão, após terremoto no Irã, perto da fronteira

Infográfico: Entenda como acontecem os terremotos e tsunamis

Também foi o segundo terremoto fatal a atingir o Irã em menos de uma semana. Um tremor de magnitude 6,1 na região de Bushehr, costa do Golfo Pérsico iraniano, deixou ao menos 37 mortos.

A TV estatal iraniana afirmou que 27 pessoas ficaram feridas, mas voltaram atrás quanto ao número de mortos. Inicialmente, a imprensa estatal havia registrado 40 mortos e uma autoridade do Irã chegou a dizer que centenas de mortes eram esperadas.

Depois, entretanto, o Crescente Vermelho iraniano disse que os estragos deveriam ser mais limitados com poucos mortos, por se tratar de um terremoto profundo - o serviço sismológico do Irã estimou a profundidade em 95 km. O serviço geológico norte-americano colocou a magnitude preliminar em 7,8 e a profundidade em 15,2 km.

Outros meios de imprensa controlados pelo Estado, incluindo a agência oficial Irna, também retiraram a menção ao número de mortos, e citaram apenas os feridos. No lado paquistanês da fronteira, uma fonte do Exército afirmou que 34 morreram e ao menos 80 estão feridos devido ao terremoto. Todas as perdas aconteceram na cidade de Mashkal, disse a autoridade.

O Exército paquistanês ordenou que tropas paramilitares ajudassem nas operações de resgate e providenciassem tratamento médico. Outras tropas foram enviadas para a região, e helicópterios do Exército, mobilizados para para levar suprimentos médicos, tendas e outros itens de socorro.

O terremoto foi sentido em uma ampla área, de Nova Délhi às cidades do Golfo, que possuem um dos maiores arranha-céus do mundo, incluindo um de 828 metros em Dubai. Autoridades ordenaram que os edifícios fossem temporariamente esvaziados por precaução.

Um residente na região do terremoto, Manouchehr Karimi, afirmou à agência Associated Press que o "período to terremoto foi longo" e ocorreu "quando muitas pessoas estavam em casa, tirando o cochilo do meio-dia."

Canais de TV paquistaneses mostraram prédios balançando na cidade de Karachi, ao sul, onde pessoas entraram em pânico e correram de suas casas e escritórios. Não houve registros de estragos. Em 2003, cerca de 26 mil morreram em um terremoto de magnitude 6,6 na cidade de Ban, no sul iraniano.

Com AP e Reuters

Leia tudo sobre: terremoto no irãirãterremototremorpaquistão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas