Envelope com ricina é enviado a senador dos EUA, diz líder da maioria democrata

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Pacote com substância venenosa foi interceptado em setor de correspondência do Congresso localizado fora do prédio do Capitólio, em Washington

Um envelope com o veneno mortal ricina foi interceptado na tarde desta terça-feira no setor de correspondência localizado fora do prédio do Capitólio (sede do Congresso americano), em Washington, disseram fontes policiais à rede de TV CNN.

Segunda: Explosões na Maratona de Boston deixam ao menos três mortos nos EUA

Objetivo: Em panela de pressão, bomba de ataque em Boston pretendia mutilar vítimas

AP
Foto de 29/1/2009 mostra senador Roger Wicker, republicano do Mississippi, durante coletiva no Capitólio, em Washington

Coletiva: FBI descarta novas ameaças em Boston e promete investigar 'até o fim do mundo'

O senador Harry Reid, líder da maioria democrata no Senado, disse ter sido informado que o envelope era endereçado para o senador republicano Roger Wicker, do Mississippi. Depois de o envelope dar positivo em um primeiro teste de rotina, ele foi submetido a análises por mais duas vezes, que confirmaram o resultado inicial, disse a fonte policial. O pacote foi então enviado para um laboratório em Maryland para testes adicionais.

O que é?: Ameaça bioterrorista, veneno ricina fez poucas vítimas

Os senadores foram informados sobre o caso na tarde desta terça e avisados de que os correios do Congresso seriam fechados temporariamente. "O envelope foi identificado na instalação de verificação. Esse é o motivo por que temos uma unidade de correio localizada fora do Capitólio", disse a senadora democrata Claire McCaskill, do Missouri.

A ricina é uma substância altamente tóxica derivada da mamona. Pouco menos de 500 microgramas - quantidade com o tomanho da cabeça de um prego - pode matar um adulto. Não há nenhum teste específico pela exposição e nenhum antídoto para uma eventual contaminação.

Brasil: Copa e Olimpíadas serão seguras, diz Patriota após ataque em Boston

O veneno pode ser produzido de forma fácil e barata, e autoridades em vários países investigaram vínculos entre suspeitos de extremismo e a ricina. De acordo com especialistas, a substância é mais efetiva em indivíduos do que uma arma de destruição em massa.

A ricina foi usada no assassinato do dissidente búlgaro Georgi Markov, em 1978. O autor, que havia desertado do regime comunista do país nove anos antes, foi contaminado pela ponta de um guarda-cuva enquanto esperava por um ônibus em Londres e morreu quatro dias depois da exposição à substância.

A informação sobre o envelope com o veneno surgiu um dia depois de duas bombas explodirem perto da linha de chegada da Maratona de Boston, deixando três mortos e quase 180 feridos. Entre as vítimas fatais estão um menino de 8 anos, uma gerente de restaurante de 29 anos e um universitário cujo nome ainda não foi divulgado.

Martin Richard: Menino de 8 anos morto em ataque 'era cheio de vida e amava correr'

AP
Investigadores numeram vidros destruídos e destroços em local da explosão de primeira bomba na Maratona de Boston

Krystle Campbell: Polícia identifica mulher de 29 anos como segunda vítima de ataque

Um dia depois de ter evitado classificar o ataque de segunda como terrorismo, o presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou nesta terça que, "quando bombas são usadas contra civis, é um ato de terror". Segundo o presidente, o FBI (a polícia federal dos EUA) está investigação a explosão "hedionda e covarde" das duas bombas como um "ato de terrorismo".

De acordo com autoridades, os explosivos em Boston eram provavelmente artefatos em "panelas de pressão" que espalharam afiados pedaços de estilhaços nas vítimas que estavam perto das explosões.

Cirurgiões de vários hospitais de Boston disseram em coletivas televisionadas que os artefatos explosivos aparentemente foram montados com pequenos cartuchos de PVC e afiados objetos similares a pregos com o objetivo de mutilar suas vítimas. Médicos que trabalham no tratamento das vítimas revelaram que muitas tiveram ferimentos graves nas pernas. Em muitos casos, elas tiveram membros amputados.

*Com AP

Leia tudo sobre: ricinaeuacapitólioterrorismowickerheid

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas