Copa e Olimpíadas serão seguras, diz Patriota após ataque em Boston

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Chanceler brasileiro afirma que 'todas as medidas necessárias' estão sendo tomadas para garantir segurança de eventos de 2014 e 2016

O ministro de Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, afirmou nesta terça-feira que "todas as medidas necessárias" estão sendo tomadas para garantir a segurança na Copa do Mundo do próximo ano e das Olimpíadas de 2016. Um dia após o ataque na Maratona de Boston, Patriota afirmou estar confiante de que as medidas do País "garantirão a segurança dos eventos".

Ataque: Explosões na Maratona de Boston deixam ao menos três mortos nos EUA

Objetivo: Em panela de pressão, bomba de ataque em Boston pretendia mutilar vítimas

AP
Investigadores numeram vidros destruídos e destroços em local da explosão de primeira bomba na Maratona de Boston

Obama sobre Boston: 'Quando bombas são usadas contra civis, é terrorismo'

oletiva: FBI descarta novas ameaças em Boston e promete investigar 'até o fim do mundo'

Embora o Brasil nunca tenha sido alvo do terrorismo internacional, o ataque de segunda-feira destacou quão vulneráveis os grandes eventos esportivos podem ser. Alguns observadores preveem que as autoridades aumentarão a segurança antes dos eventos, embora até agora tenham fornecido poucos detalhes.

O Rio também abrigará dois outros grandes eventos ainda neste ano, o torneio de futebol da Copa das Confederações e a Jornada Mundial da Juventude, uma peregrinação católica da qual devem participar o papa Francisco e 2,5 milhões de visitantes.

Cenário: 'Explosões deixaram vários amputados', diz corredor da maratona de Boston

Nesta terça, autoridades americanas disseram que os explosivos usados em Boston eram provavelmente artefatos em "panelas de pressão" que espalharam afiados pedaços de estilhaços nas vítimas que estavam perto das explosões.

Cirurgiões de vários hospitais de Boston disseram em coletivas televisionadas que os artefatos explosivos aparentemente foram montados com pequenos cartuchos de PVC e afiados objetos similares a pregos com o objetivo de mutilar suas vítimas. Médicos que trabalham no tratamento das vítimas revelaram que muitas tiveram ferimentos graves nas pernas. Em muitos casos, elas tiveram membros amputados.

Martin Richard: Menino de 8 anos morto em ataque 'era cheio de vida e amava correr'

AP
Vizinhos sentam do lado de fora de casa de pais de Krystle Campbell, que foi morta no ataque em Boston

Krystle Campbell: Polícia identifica mulher de 29 anos como segunda vítima de ataque

Os novos detalhes sobre os explosivos surgiram no mesmo dia em que o presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou na Casa Branca que o ataque era "um ato de terrorismo", com a ressalva de que ainda não havia informações se foi lançado por um indivíduo ou grupo, estrangeiro ou doméstico.

Um policial disse que ao menos uma das bombas, e provavelmente ambas, estavam em panelas de pressão cheias de pregos, objetos de rolamento de esferas e pólvora que foram detonadas com timers rudimentares normalmente usados em cozinhas. Segundo essa fonte, os investigadores acreditam que as bombas foram escondidas dentro de sacolas ou mochilas e deixadas na rua ou na calçada perto da linha de chegada da maratona.

Itamaraty: Brasileira ficou ferida em ataque em Boston

O FBI revelou que está investigando um "número volumoso" de pistas relacionadas às duas fortes explosões, que deixaram três mortos, incluindo um menino de 8 anos e uma gerente de um restaurante. O agente especial Richard Deslauriers, encarregado das investigações, afirmou em uma coletiva que agentes estão interrogando testemunhas e analisando o local das explosões.

Segundo ele, não há conhecimento sobre qualquer ameaça adicional em Boston. "Não há nenhuma ameaça física iminente em qualquer local onde estamos conduzindo a investigação no momento", disse. "Nossa missão é clara, levar à Justiça os responsáveis pelos ataques na maratona. O público americano quer respostas, os cidadãos de Boston e a comunidade do Estado de Massachusetts querem e merecem respostas", disse Delauriers.

Veja as imagens dos ataques em Boston:

Memorial improvisado com par de tênis de corrida é visto em campus de Universidade de Boston após identificação de estudante como um dos mortos em ataque de segunda (17/04). Foto: APInvestigador do FBI desce em guindaste com uma bolsa recolhida do alto de um prédio próximo ao local onde houve explosões na Maratona de Boston (17/04). Foto: APInvestigadores vasculham área perto de linha de chegada de Maratona de Boston dois dias depois de explosão de bombas (17/04). Foto: APFotos da cena das explosões da Maratona de Boston tirada por investigadores mostram os restos do explosivo (17/04). Foto: ReutersLizzie Lee, 56, que participava de sua primeira Maratona de Boston, segura vela e flor durante vigília por vítimas de ataque (16/04). Foto: APHomem coloca bilhete com flores em barricada de polícia perto da linha de chegada da Maratona de Boston (16/04). Foto: APInvestigadores numeram vidros destruídos e destroços em local da explosão de primeira bomba na Maratona de Boston (16/04). Foto: APVizinhos sentam do lado de fora de casa de pais de Krystle Campbell, que foi morta no ataque em Boston (16/04). Foto: APCorredor de 78 anos é protegido por polícia após cair durante segunda explosão perto de linha de chegada da Maratona de Boston (15/04). Foto: APHomem caminha com as calças rasgadas após explosões na Maratona de Boston (15/04). Foto: APSegunda bomba explode perto de linha de chegada da Maratona de Boston (15/04). Foto: APCom roupas de proteção, investigadores vasculham área afetada por explosão perto de linha de chegada na Maratona de Boston (15/04). Foto: APPessoas correm após explosões na Maratona de Boston (15/04). Foto: APPolicial leva garoto ferido de cadeira de rodas após explosões durante a maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: APCriança chora após explosões atingirem maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: ReutersCorredoras reagem após segunda explosão atingir maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: APAtleta cai e recebe ajuda após segunda explosão em Boston (15/04). Foto: APNo Salão Oval, presidente dos EUA, Barack Obama, fala ao telefone com diretor do FBI, Robert Mueller, sobre as explosões em Boston (15/04). Foto: Casa Branca/Governo dos EUA/Mulher conforta outra aparentemente ferida após explosões na maratona de Boston, EUA (15/04). Foto: ReutersMédicos auxiliam feridos após explosões atingirem maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: APMédicos auxiliam feridos na linha de chegada da maratona de Boston após explosões (15/04). Foto: APReprodução da TV WBZ mostra fumaça decorrente das explosões que atingiram maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: APMédicos ajudam feridos após explosões perto da linha de chegada da maratona de Boston, EUA (15/04). Foto: AP

Vídeo: Câmera flagra momento de explosões na Maratona de Boston; assista

O agente do FBI afirmou também que a investigação, apesar de estar ainda nos estágios iniciais, não vai se restringir apenas a Boston ou aos EUA. "Esta será uma investigação mundial. Vamos até o fim do mundo para indentificar a pessoa ou as pessoas responsáveis por esse crime", afirmou. Delauriers não deu mais detalhes sobre o progresso das investigações ou se as autoridades já sabem quem foram os responsáveis pelos ataques na segunda.

*Com AP e New York Times

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas