Ataque em Boston é 'cruel ato de terror', diz secretário da Defesa dos EUA

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo Hagel, qualquer evento com bombas é um ato terrorista e prometeu que uma investigação meticulosa determinará se os responsáveis são estrangeiros ou domésticos

O secretário de Defesa dos EUA, Chuck Hagel, classificou nesta terça-feira a explosão de duas bombas no dia anterior durante a Maratona de Boston de "cruel ato de terror". Segundo Hagel, qualquer evento com dispositivos explosivos é claramente um ato terrorista e prometeu que uma investigação meticulosa determinará se os responsáveis são estrangeiros ou domésticos.

Coletiva: FBI descarta novas ameaças em Boston e promete investigar 'até o fim do mundo'

Segundo: Explosões na Maratona de Boston deixam ao menos três mortos nos EUA

AP
Vizinhos se abraçam do lado de fora de bairro em Boston, palco de ataque no dia anterior

Inquérito: FBI investiga potencial 'ato terrorista' na Maratona de Boston

Obama: Responsáveis por explosões em Boston responderão à Justiça

As declarações foram feitas um dia depois de o presidente dos EUA, Barack Obama, ter feito declarações cautelosas na Casa Branca em que evitou usar as palavras "terror" ou terrorismo" relacionadas às explosões, que deixaram ao menos três mortos e 176 feridos.

Posteriormente, porém, ao pronunciamento do líder americano, uma fonte não identificada da Casa Branca afirmou que o governo está lidando com a questão como "um ato terrorista". "Qualquer evento com múltiplos explosivos - como parece ser o caso - é claramente um ato de terror, e abordaremos isso dessa forma", disse. "Entretanto, não sabemos quem lançou essa ação, e por meio da investigação determinaremos se foi planejado e realizado por um grupo terrorista, externo ou doméstico", completou.

Também na segunda-feira, o FBI, a polícia federal dos EUA, disse que as investigações sobre o caso são "um potencial inquérito sobre terrorismo". Segundo os investigadores, nenhum grupo reivindicou responsabilidade pelas explosões, em um dos feriados mais cívicos da cidade, o Dia dos Patriotas. O Taleban do Paquistão, que com frequência ameaça os EUA por seu apoio ao governo paquistanês, negou nesta terça que tenha quaisquer relações com as explosões.

Assista ao vídeo feito por corredor durante Maratona de Boston:

Depoimentos:
- 'Não sabíamos para onde era seguro ir', diz brasileira em Boston
- Estudante dos EUA escapa de explosões em Boston por cinco minutos 

Nesta terça, o FBI negou haver conhecimento sobre qualquer ameaça adicional em Boston. "Não há nenhuma ameaça física iminente em qualquer local onde estamos conduzindo a investigação no momento", disse Richard DesLauriers, o agente do FBI encarregado do caso.

O agente também afirmou que a polícia recebeu "várias pistas" do público, conclamando a população a cooperar com os investigadores. "Iremos até o fim do mundo para identificar o indivíduo ou indivíduos que são responsáveis por esse crime desprezível e faremos o que pudermos para levá-los à Justiça", disse.

Na mesma coletiva, outras autoridades desmentiram a informação dada na segunda de que outras bombas além das detonadas perto da linha de chegada da maratona foram encontradas no local. Previamente, a informação era de que ao menos dois dispositivos haviam sido descobertos e desativados. "É importante esclarecer que dois, apenas dois, explosivos foram encontrados ontem", disse o governador de Massachusetts, Deval Patrick.

As autoridades elogiaram os funcionários de emergência e os voluntários que ajudaram os feridos, afirmando que eles salvaram vidas.

Cenário: 'Explosões deixaram vários amputados', diz corredor da maratona de Boston

Veja as imagens do ataque em Boston:

Memorial improvisado com par de tênis de corrida é visto em campus de Universidade de Boston após identificação de estudante como um dos mortos em ataque de segunda (17/04). Foto: APInvestigador do FBI desce em guindaste com uma bolsa recolhida do alto de um prédio próximo ao local onde houve explosões na Maratona de Boston (17/04). Foto: APInvestigadores vasculham área perto de linha de chegada de Maratona de Boston dois dias depois de explosão de bombas (17/04). Foto: APFotos da cena das explosões da Maratona de Boston tirada por investigadores mostram os restos do explosivo (17/04). Foto: ReutersLizzie Lee, 56, que participava de sua primeira Maratona de Boston, segura vela e flor durante vigília por vítimas de ataque (16/04). Foto: APHomem coloca bilhete com flores em barricada de polícia perto da linha de chegada da Maratona de Boston (16/04). Foto: APInvestigadores numeram vidros destruídos e destroços em local da explosão de primeira bomba na Maratona de Boston (16/04). Foto: APVizinhos sentam do lado de fora de casa de pais de Krystle Campbell, que foi morta no ataque em Boston (16/04). Foto: APCorredor de 78 anos é protegido por polícia após cair durante segunda explosão perto de linha de chegada da Maratona de Boston (15/04). Foto: APHomem caminha com as calças rasgadas após explosões na Maratona de Boston (15/04). Foto: APSegunda bomba explode perto de linha de chegada da Maratona de Boston (15/04). Foto: APCom roupas de proteção, investigadores vasculham área afetada por explosão perto de linha de chegada na Maratona de Boston (15/04). Foto: APPessoas correm após explosões na Maratona de Boston (15/04). Foto: APPolicial leva garoto ferido de cadeira de rodas após explosões durante a maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: APCriança chora após explosões atingirem maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: ReutersCorredoras reagem após segunda explosão atingir maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: APAtleta cai e recebe ajuda após segunda explosão em Boston (15/04). Foto: APNo Salão Oval, presidente dos EUA, Barack Obama, fala ao telefone com diretor do FBI, Robert Mueller, sobre as explosões em Boston (15/04). Foto: Casa Branca/Governo dos EUA/Mulher conforta outra aparentemente ferida após explosões na maratona de Boston, EUA (15/04). Foto: ReutersMédicos auxiliam feridos após explosões atingirem maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: APMédicos auxiliam feridos na linha de chegada da maratona de Boston após explosões (15/04). Foto: APReprodução da TV WBZ mostra fumaça decorrente das explosões que atingiram maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: APMédicos ajudam feridos após explosões perto da linha de chegada da maratona de Boston, EUA (15/04). Foto: AP

Os médicos que tratam os mais de 170 feridos informaram que foram removidas de várias das vítimas cartuchos de PVC e fragmentos similares a pregos. Um dos médicos disse acreditar que os fragmentos estavam dentro das bombas, afirmando que alguns pacientes tinham mais de 40 ferimentos por estilhaços e que foram realizadas várias amputações.

Na segunda-feira, a TV WBZ reportou que policiais realizaram uma busca dentro de um apartamento em Revere, subúrbio de Boston. A Polícia do Estado de Massachusetts confirmou que houve um mandato de busca relacionado às explosões em Revere, mas não deu mais detalhes.

*Com AP e BBC

Leia tudo sobre: ataque em bostonmaratona de bostonbostonterrorismoeuafbi

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas