Presidente do Sudão visita Sudão do Sul pela primeira vez desde divisão

Por Reuters | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Encontro entre presidentes dos dois países aumenta esperanças de que adversários possam se aproximar de uma pacífica coexistência

Reuters

O presidente do Sudão, Omar Hassan al-Bashir, chegou ao Sudão do Sul nesta sexta-feira (12) pela primeira vez desde a divisão em 2011 do que já foi o maior país do continente africano, aumentando cautelosas esperanças de que os dois adversários possam estar próximos de uma pacífica coexistência.

Imprensa: Sudão do Sul prende jornalistas por não cobrirem discurso presidencial

AP
Presidente do Sudão do Sul Salva Kiir (dir.) recebeu o seu colega sudanês Omar Hassan al-Bashir fora do gabinete presidencial em Juba

Leia também: Sudão do Sul deve retirar tropas da fronteira em disputa com Sudão

Os países vizinhos concordaram em março em retomar os fluxos de petróleo entre as fronteiras e tomar medidas para diminuir a tensão que tem atormentado os dois lados desde a independência do Sudão do Sul em julho de 2011, após um tratado que encerrou décadas de guerra civil.

Julho de 2012: Sudão do Sul celebra um ano de independência com pobreza e violência

Mas eles ainda não concordaram sobre a quem pertence a região de Abyei e outras áreas ao longo da disputada fronteira de 2 mil quilômetros.

Bashir havia planejado visitar Juba há um ano, mas cancelou a viagem quando confrontos irromperam ao longo da fronteira, quase deflagrando uma guerra em grande escala. Ele chegou ao aeroporto de Juba com uma delegação de 65 membros e foi recebido pelo presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir.

Guerra: Conflito no Sudão cria nova geração de 'meninos perdidos'

Durante conflito: ONU ameaça impor sanções contra Sudão e Sudão do Sul

A polícia isolou as ruas principais, que foram adornadas com as bandeiras dos dois países para a passagem dos líderes até o gabinete presidencial.

Bashir e Kiir vão discutir os acordos sobre petróleo e segurança, comércio de fronteira, assim como conflitos territoriais pendentes.

Muitos sul-sudaneses esperam que visita de Bashir acabe com um dos conflitos mais longos da África. "Precisamos viver em harmonia. Precisamos de paz entre o Sudão e o Sudão do Sul", disse o estudante de engenharia Robert Mori.

Leia tudo sobre: sudãosudão do sulconflitoáfricabashirkiir

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas