Líderes mundiais lamentam morte de Margaret Thatcher

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

David Cameron diz que 'Dama de Ferro' não apenas liderou o Reino Unido como 'salvou' o país e Barack Obama afirma que Thatcher é exemplo para todas as mulheres do mundo

Líderes mundiais expressaram admiração e respeito nesta segunda-feira (8) pela ex-primeira ministra britânica Margaret Thatcher, após o anúncio de sua morte nesta manhã. O atual premiê do Reino Unido resumiu o consenso entre amigos e rivais dizendo que a 'Dama de Ferro' era "uma grande britânica".

"Como nossa primeira premiê mulher, Margaret Thatcher foi bem-sucedida contra todas as probabilidades", disse Cameron durante rápida visita a Madri. Ele cancelou sua ida à França para retornar ao Reino Unido e liderar os preparativos do funeral da líder do Partido Conservador.

Obituário: Morre aos 87 anos a ex-premiê britânica Margaret Thatcher

Análise: Admirada e criticada, Margaret Thatcher transformou Reino Unido

Getty Images
Margaret Thatcher morreu nesta segunda-feira após sofrer um derrame (foto de arquivo)

Galeria de fotos: Relembre a trajetória de Margaret Thatcher em imagens

"A realidade sobre Margeret Thatcher é que ela não apenas liderou nosso país. Ela salvou nosso país", disse Cameron. "Acredito que ela será lembrada como a maior premiê britânica em tempos de paz."

Enquanto bandeiras no Reino Unido eram hasteadas a meio mastro, o Palácio de Buckingham disse que a rainha Elizabeth 2ª enviou uma mensagem particular de solidariedade à família Thatcher.

Pela Europa e em todo mundo, líderes elogiaram Thatcher por sua determinação para modernizar a indústria do Reino Unido - embora a um alto preço, com greves e manifestações - e por ficar ao lado dos EUA enquanto o Ocidente triunfava na Guerra Fria (1945-1991) contra a União Soviética.

Polêmica: Veja as principais frases de Margaret Thatcher

Cinema: Papel de Margaret Thatcher deu Oscar de melhor atriz para Meryl Streep

O presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou que a ex-premiê era uma campeã da liberdade e um exemplo para as mulheres de todo mundo. Em comunicado divulgado nesta segunda-feira pela Casa Branca, Obama afirmou que Thatcher "mostrou a nossas filhas que não há nenhum limite que não possa ser quebrado."

Obama afirmou que muitos americanos relembram Thatcher, que morreu na segunda-feira de derrame aos 87 anos, por ficar "lado a lado" com o presidente Ronald Reagan durante a Guerra Fria. Obama afirmou que ela mostrou que os líderes não devem ser arrastados pelas correntes da história, mas podem moldá-la "com convicção moral, coragem inflexível e vontade de ferro."

A ex-primeira-dama americana Nancy Reagan disse que seu marido e Thatcher "possuíam uma relação muito especial" guiada por um ódio comum ao comunismo. "Ronnie e Margaret eram almas gêmeas politicamente", disse em comunicado, destacando a "clara visão e forte determinação de Thatcher por acreditar em suas crenças em um tempo quando tantos estavam tão temerosos em balançar o barco".

O premiê de Israel Benjamin Netanyahu disse em comunicado: "Hoje, eu lamento o falecimento da primeira-ministra Margaret Thatcher. Ela era uma verdadeira líder, uma mulher de princípios, de determinação, de convicção, de força - uma mulher de grandeza. Ela foi uma amiga leal de Israel e do povo judeu e inspirou uma geração de líderes políticos. Eu envio minhas mais sinceras condolências à sua família e ao governo e o povo do Reino Unido."

Na Polônia, o chanceler Radoslaw Sirkorski disse que seu país deveria erguer uma estátua da líder britânica. Em sua página oficial no Twitter, ele caracterizou Margaret Thatcher como um "corajosa campeã da liberdade, que ficou ao lado de nações aprisionadas, e ajudou a libertar o mundo ao vencer a Guerra Fria."

O ex-premiê britânico Tony Blair, que derrubou os Conservadores do poder sete anos após a renúncia de Thatcher, admitiu que Thatcher tinha motivos para desafiar o poder dos sindicatos - base tradicional do próprio Partido Trabalhista de Blair.

"Muitos poucos líderes têm a chance de mudar não só a política do seu país, mas do mundo. Margaret era uma líder desse tipo. Seu impacto global foi vasto", disse Blair, que creditou Thatcher como "imensamente apoiadora", apesar de suas visões opostas em diversos temas. "Não se pode desrespeitar seu caráter e sua contribuição para vida nacional do Reino Unido."

O último líder da União Soviética, Mikhail Gorbachev (1985-1991), afirmou que Thatcher foi uma "grande política e uma pessoa excepcional", que ajudou a acabar com a Guerra Fria (1945 - 1991). 

"Thatcher era uma política cuja palavra tinha grande peso", disse em seu site Gorbachev, que tentou reformar a União Soviética e melhorar seus laços com o Ocidente, mas não conseguiu evitar o colapso da potência nuclear.

"Nosso primeiro encontro, em 1984, marcou o início de uma relação que por momentos foi difícil, nem sempre tranquila, mas que foi levada com seriedade e responsabilidade por ambas as partes."

Críticas

O Sindicato Nacional dos Mineiros - que enfrentou Thatcher durante os anos de 1984 e 1985 e perdeu - expressou suas condolências a família da ex-premiê, mas acrescentou: "O estrago causado por sua política fatalmente deficiente continua."

Premiê britânico David Cameron posa ao lado de Margaret Thatcherna entrada do nº10 da Downing Street em Londres (08/06/2010)
. Foto: APMargaret Thatcher presta condolências durante funeral de seu amigo e aliado Ronald Reagan, ex-presidente dos EUA (09/06/2004). Foto: APFoto datada dos anos 1980 mostra a ex-premiê britânica Margaret Thatcher. Foto: APEntão premiê, Margaret Thatcher acena aos seus partidários na sede  do Partido Conservador após vencer eleições gerais (12/6/1987). Foto: APMargaret Thatcher gesticula com uma caneta durante coletiva nas Nações Unidas (23/6/1982). Foto: APMargaret Thatcher visita a Casa Branca, em Washington, acompanhada pelo então presidente dos EUA Jimmy Carter (17/12/1979). Foto: APEntão governador da Califórnia, Ronald Reagan recebe medalha da ex-premiê britânica Margaret Thatcher em Londres (09/04/1975). Foto: APMargaret Thatcher ganha um beijo do marido, Denis, depois de vencer a primeira rodada da eleição pela liderança do partido
. Foto: APEntão parlamentar pelo Partido Conservador, Margaret Thatcher posa para foto na cozinha de sua casa em Chelsea (01/02/1975). Foto: APEm foto dos anos 50, a candidata Margaret Thatcher acompanha quatro eleitores no piano para uma canção no bar de Bull Inn, Dartford. Foto: AP

Gerry Adams, líder do partido nacionalista irlandên Sinn Fein, que ganhou força por confrontar Thatcher acerca da confrontação dos pedidos de prisão do Exército Republicano Irlandês (IRA), denunciou a ex-premiê como uma hipócrita  que permitiu conversas secretas com figuras importantes do IRA, embora recusasse quaisquer concessões em público.

"Aqui na Irlanda, a adoção de políticas draconianas e militaristas prolongaram a guerra e causaram imenso sofrimento. Ela abraçou a censura, o conluio e o assassinato de cidadãos em operações acobertadas", disse Adams. 

Com BBC, Reuters e AP

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas