Bomba explodiu sob um ônibus, matando nove civis. Primavera no hemisfério norte traz aumento de violência no país

Reuters

Uma bomba explodiu sob um ônibus no Afeganistão nesta segunda-feira (8), matando nove civis, informou a polícia, dois dias depois de 11 crianças e uma mulher terem sido mortas durante um ataque da Otan contra militantes em outra parte do país.

Também no fim de semana, um carro-bomba matou cinco norte-americanos, incluindo três soldados, uma jovem diplomata e um prestador de serviço do Departamento de Defesa dos EUA, no sul da província de Zabul.

Leia:
Explosão mata diplomata norte-americana de 25 anos no Afeganistão
Quatro civis e três soldados da OTAN morrem no Afeganistão

A violência tradicionalmente se intensifica na primavera afegã, com o derretimento da neve em passagens de montanha. Este ano, a grande questão é saber se as forças afegãs serão capazes de lidar com uma eventual onda de ataques, já que a maioria das forças estrangeiras se prepara para uma retirada até o final do próximo ano.

Vinte e duas pessoas ficaram feridas na explosão desta segunda-feira na província de Wardak, a sudoeste da capital, Cabul, disse o porta-voz do chefe de polícia provincial, Abdul Wali.

O Ministério do Interior disse que a bomba havia sido plantada pelo Taliban, mas um porta-voz dos insurgentes, Zabihullah Mujahid, disse que a bomba não era deles.

"Rejeitamos firmemente o envolvimento no ataque", disse ele.

O ônibus viajava da província de Ghazni a Cabul, disse Wali.

A Força Internacional de Assistência à Segurança, liderada pela Otan, não aceitou a responsabilidade pelas mortes de 11 crianças e uma mulher no confronto de sábado na província de Kunar, na fronteira com o Paquistão, dizendo que ainda não está claro quem causou as mortes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.