Hostilidades aumentam na fronteira de Israel e Gaza

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Onda de violência desatada pela irritação em Gaza por morte de preso palestino detido por Israel também incluiu ataque aéreo israelense contra enclave controlado por Hamas

Israel pressionou o Hamas nesta quarta-feira a conter os militantes que lançam foguetes na Faixa de Gaza após a onda mais grave de hostilidades entre as fronteiras desde o cessar-fogo que encerrou uma guerra de oito dias em novembro.

Escolha: Hamas reelege Meshaal como líder do grupo islâmico palestino

AP
Soldado israelense senta no topo de tanque perto da Faixa de Gaza

Bastidor: Negociação entre EUA e Egito possibilitou cessar-fogo em Gaza

A onda de violência, provocada pela irritação em Gaza em relação à morte por câncer, na terça-feira, de um prisioneiro palestino detido por Israel, incluiu o primeiro ataque aéreo israelense no enclave controlado pelo Hamas desde a trégua.

Até à tarde desta quarta-feira, a fronteira estava quieta, em uma indicação de que Israel e Hamas avaliavam seus movimentos com cuidado depois de quatro meses de relativa calmaria que permitiu que moradores de Gaza reconstruíssem, e israelenses perto da fronteira vivessem sem o familiar som estridente das sirenes de aviso de foguetes.

Educação: Lei do Hamas promove segregação de gênero em escolas de Gaza

O Exército israelense disse que dois foguetes disparados de Gaza tinham atingido o sul de Israel em um ataque na manhã desta quarta sem causar vítimas, horas depois de seus aviões alvejarem "dois locais de terror" no norte do território.

Israel lançou o ataque aéreo após três foguetes atingirem o sul na terça. O Magles Shoura al-Mujahadeen, grupo ligado à Al-Qaeda, reivindicou a responsabilidade pelos ataques, dizendo que respondia à morte do prisioneiro Maysara Abu Hamdeya, de 64 anos.

A terça foi a terceira vez desde o cessar-fogo de novembro que foguetes de Gaza atingiram Israel.

Março: Militantes de Gaza disparam contra Israel durante visita de Obama

Fevereiro: Foguete atinge Israel no primeiro ataque de Gaza desde cessar-fogo

Mas, com um novo governo e um novo ministro da Defesa depois de semanas de negociações para formar uma coalizão depois da eleição de janeiro, Israel parecia querer mostrar determinação, colocando o ônus sobre o Hamas para evitar o lançamento de foguetes.

"(As Forças Armadas de Israel) decidiram atacar durante a noite, a fim de sinalizar ao Hamas que não sofreremos qualquer ataque no sul. E qualquer disparo terá uma resposta para restaurar a paz no sul em breve", afirmou o general de brigada Yoav Mordechai, principal porta-voz militar, à Rádio do Exército.

"Avalio que o Hamas não tem interesse em ver a situação se deteriorar", afirmou. "Nosso objetivo é manter a calma."

Tensão na Cisjordânia

Soldados israelenses mataram a tiros um jovem palestino, de 17 anos, durante confronto na noite desta quarta-feira na Cisjordânia ocupada, onde as tensões também aumentaram desde a morte do prisioneiro. O Exército israelense confirmou que tropas abriram fogo contra vários palestinos que atiraram bombas em um posto de guarda na região de Tulkarm, na Cisjordânia. Um médico palestino disse que tropas levaram o corpo do jovem para um hospital local.

*Reuters

Leia tudo sobre: hamasisraelpalestinosgaza

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas