Líder norte-coreano ordena prontidão para atingir bases dos EUA

Por Reuters | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ordem é dada após governo americano enviar bombardeiros B-2 para exercícios militares na Coreia do Sul

Reuters

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, determinou que as unidades de mísseis do país fiquem de prontidão para atacar bases militares dos EUA na Coreia do Sul e no Pacífico em uma reunião de emergência na sexta-feira (horário local), depois que os EUA realizaram exercícios com aviões "invisíveis", informou a agência de notícias oficial da Coreia do Norte KCNA.

Medida: EUA enviam bombardeiros B-2 para exercícios militares na Coreia do Sul

AP
coreia-norte-ap: Universitários socam ar durante marcha na Praça de Kim Il-sung, no centro de Pyongyang, Coreia do Norte

Dia 26: Coreia do Norte diz que colocou tropas em posição de combate contra os EUA

Dia 21: Coreia do Norte ameaça base dos EUA no Pacífico

Segundo a KCNA, Kim emitiu as ordens durante uma reunião à meia-noite com os principais generais e "julgou que havia chegado a hora de acertar as contas com os imperialistas dos EUA, tendo em vista a situação em vigor".

Canal de diálogo: Coreia do Norte diz que cortou contato militar direto com o Sul

"Ele finalmente assinou o plano para preparações técnicas de mísseis estratégicos da KPA (Comando Supremo do Exército Popular Coreano), ordenando que estejam de prontidão para disparar, de maneira que possam atacar a qualquer hora o continente americano, suas bases militares em teatros de operações no Pacífico, incluindo Havaí e Guam, e aquelas na Coreia do Sul", acrescentou a agência.

NYT: Em meio a ameaças da Coreia do Norte, Coreia do Sul cogita arsenal nuclear

Os EUA realizaram na quinta exercícios com dois aviões "invisíveis" sobre a Coreia do Sul, em mais uma demonstração de força para a Coreia do Norte depois de realizar atividade semelhante com um bombardeiro B52 também nesta semana, em um momento de tensão elevada na região.

Medida: Coreia do Norte anula acordos de não agressão com o Sul

Os aviões do tipo Stealth ("furtivos") são indetectáveis por radares. Em nota, a Força Aérea dos EUA na Coreia disse que a missão envolveu dois bombardeiros modelo B-2 Spirit, vinculados à 509ª Esquadra de Bombas.

Também na quinta, o secretário de Defesa dos EUA, Chuck Hagel, afirmou que as ações provocativas e o tom beligerante da Coreia do Norte "intensificam o perigo" na região. Mas ele negou que o uso dos bombardeiros "invisíveis" tenha agravado a situação.

"Devemos levar a sério cada palavra e ação provocativa e belicosa que esse novo jovem líder adotou até agora", disse Hagel em coletiva no Pentágono.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas