Magnata russo Berezovsky morreu enforcado, diz polícia britânica

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo autópsia não havia sinais de briga violenta. Boris Berezovsky foi encontrado morto em casa perto de Londres no sábado

Reuters

O magnata russo Boris Berezovsky, cujo corpo foi encontrado no banheiro trancado de sua casa de luxo perto de Londres no fim de semana, morreu por enforcamento, disse a polícia britânica nesta segunda-feira (25).

Investigação: Polícia não vê envolvimento de terceiros na morte de oligarca russo

Reuters
O magnata russo Boris Berezovsky é encontrado morto em sua casa na Inglaterra

A polícia, que já havia removido o corpo da casa dele para realizar uma autópsia, disse que não havia sinais de briga violenta, acrescentando que mais testes serão realizados, incluindo exames de toxicologia e histologia.

Hipótese: Polícia descarta radiação em casa de oligarca russo encontrado morto

Uma vez conhecido como o cardeal cinza das políticas do Kremlin, ele ajudou Vladimir Putin a chegar ao poder antes de fugir em 2000 para a Inglaterra, onde se tornou um dos mais ferozes críticos do governo russo.

O corpo de Berezovsky, de 67 anos, foi encontrado em sua propriedade em Ascot, uma cidade próspera a poucos quilômetros do Castelo de Windsor, da rainha Elizabeth, no sábado (23).

Sábado: Oligarca e dissidente russo Berezovsky é encontrado morto na Inglaterra

Alguns de seus sócios insinuaram anteriormente que Berezovsky poderia ter se matado porque estava profundamente deprimido depois de perder uma batalha judicial de 6 bilhões de dólares no ano passado contra outro magnata russo, Roman Abramovich.

"Os resultados do exame post-mortem, realizado por um patologista do Ministério do Interior, determinaram que a causa da morte é consistente com enforcamento", disse a polícia em comunicado. "O patologista não encontrou nada que indicasse uma briga violenta."

Detetives chegaram a inspecionar a casa Berezovsky em busca de traços de radiação e produtos químicos, mas não encontraram nada e disseram que não havia nenhuma evidência do envolvimento de uma terceira parte em sua morte.

Leia tudo sobre: reino unidorússiaputinBerezovsky

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas