Tribunal egípcio adia por uma semana audiência de apelação sobre eleições

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

País não tem câmara de deputados desde o ano passado, quando um tribunal forçou sua dissolução

Reuters

Um tribunal egípcio adiou neste domingo (17) uma audiência de apelação contra uma decisão tomada neste mês que eliminou as eleições parlamentares e aprofundou a incerteza política durante uma crise econômica.

A Corte Administrativa disse que adiou a audiência de apelação até dia 24 de março para permitir que haja mais tempo para estudar os argumentos legais de um caso que jogou a etapa final da transição do Egito para a democracia pelos ares.

Leia mais: Corte do Egito suspende eleição parlamentar prevista para abril

Com o país em turbulência desde a queda de Hosni Mubarak, em 2011, o Egito está sem câmara de deputados desde meados do ano passado, quando um tribunal forçou a sua dissolução ao derrubar a lei que foi usada para elegê-lo.

No mês passado, o presidente Mohamed Mursi convocou eleições que ocorrerão de 22 de abril até final de junho a partir de uma lei eleitoral revisada. A maioria dos principais partidos de oposição anunciou que iria boicotar as eleições quando a Corte Administrativa cancelou o decreto de Mursi por motivos técnicos.

Mursi prometeu respeitar a decisão do tribunal, mas as autoridades de ações judiciais do país entraram com um recurso que agora será ouvido na próxima semana.

Leia também: Egito usa esgoto para bloquear túneis na fronteira com a Faixa de Gaza

Essa incerteza sobre o futuro político do Egito, junto com frequentes episódios de violência de rua, abalaram a confiança na economia, levando a uma acentuada queda da libra egípcia e uma utilização dos fundos de reserva em moeda estrangeira.

Leia tudo sobre: egitoeleição

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas