Primeiro-ministro israelense, que forma governo de coalizão, explica escolha pela necessidade de ter alguém experiente para desafios do Oriente Médio turbulento

Reuters

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, escolheu, neste domingo, Moshe Yaalon, um ex-general, para ser o próximo ministro da Defesa. Yaalon, de 62 anos, é membro do Likud, partido de Netanyahu, e passou os últimos quatro anos fazendo parte do círculo interno de ministros.

Governo de coalizão: Netanyahu faz acordo que exclui partidos judeus ultraortodoxos

O novo titular da Defesa tem apoiado publicamente a relutância de Netanyahu em abrir mão da ocupação na Cisjordânia para liberar o caminho para a criação do estado da Palestina. Ele defende também as ameaças do primeiro ministro em atacar fábricas nucleares do Irã, apesar de, nos bastidores, autoridades terem dito que ele adotou uma linha mais cautelosa pregando que era preciso primeiro deixar a diplomacia dos Estados Unidos agir.

"Neste momento decisivo para a segurança do Estado de Israel, quando a região ao nosso redor está turbulenta, é importante ter um homem que é rico em experiência como Moshe Yaalon", afirmou Netanyahu em comunicado.

Moshe Yaalon é ex-general e membro do Likud, partido de Netanyahu
Reuters
Moshe Yaalon é ex-general e membro do Likud, partido de Netanyahu

Outros ministros foram nomeados neste domingo para a formação de um novo governo que deve tomar posse na segunda-feira.

Lapid: Com carisma e discurso para classe média, líder faz Israel pender para centro

Yaalon vai substituir Ehud Barak, que liderou um partido de centro-esquerda na coalizão que está saindo e administrou o Ministério da Defesa nos últimos sete anos. Barak não foi candidato na eleição nacional de 22 de janeiro.

Yaalon ocupou o posto de chefe das forças armadas de 2002 até 2005, quando seu mandato não foi prorrogado, depois que ele se opôs à retirada de Israel da faixa de Gaza naquele ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.