Para líderes católicos no Brasil, escolha do novo papa significa 'abertura'

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Escolha do cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio, o primeiro papa latino-americano, demonstra que a Igreja Católica não é só voltada para a Europa

Reuters

O cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio foi escolhido como novo papa nesta quarta-feira (12) para liderar a Igreja Apostólica Romana. A definição do nome aconteceu no segundo dia de votação na Capela Sistina, no Vaticano. Bergoglio escolheu ser chamado de Francisco.

Habemus papam: Argentino Bergoglio é eleito papa e adota nome de Francisco

Infográfico: Saiba como funciona o conclave para escolha do novo papa

Para Dom Orani Tempesta, Arcebispo do Rio de Janeiro, a escolha siginifica uma vontade de diálogo com os latino-americanos, como já era ouvido em Roma. "Isso demonstra que a Igreja está olhando para o continente latino-americano. O papa que viria seria o papa de todos nós, independentemente da nacionalidade."

Secretário da CNBB: Novo papa é homem muito simples e próximo ao povo

Leia mais: Conheça os cardeais que participaram de conclave para eleger novo papa

Foto fornecida pelo jornal do Vaticano L'Osservatore Romano mostra papa Francisco celebrando missa com cardeais na Capela Sistina (14/03). Foto: APPor telão na Praça de São Pedro, pessoas acompanham missa inaugural do papa Francisco com cardeais na Capela Sistina, no Vaticano (14/03). Foto: APRecém-eleito papa, Francisco celebra missa com cardeais na Capela Sistina (14/03). Foto: ReutersPapa Francisco celebra sua missa inaugural com os cardeais dentro da Capela Sistina, no Vaticano (14/03). Foto: APBatina do papa recém-eleito Francisco voa com o vento na porta da Basílica de Santa Maria Maior, em Roma (14/03). Foto: ReutersPapa Francisco deposita flores no altar dentro da Basílica de Santa Maria Marior, em Roma (14/03). Foto: APPapa Francisco fala aos fiéis no Vaticano. Ele foi eleito no segundo dia de conclave (13/03). Foto: APFiéis tentam registrar com tablets e celulares o anúncio do novo papa, no Vaticano (13/03). Foto: APFiéis acompanham a primeira benção do papa Francisco 1º (13/03). Foto: ReutersFrancisco 1º é o nome pelo novo papa, o cardeal Jorge Bergoglio, da Argentina. Foto: APProtodiácono francês Jean-Louis Pierre Tauran anuncia identidade do novo papa: cardeal Jorge Bergoglio, da Argentina (13/03/2013). Foto: APCardeal francês Jean-Louis Tauran aparece na janela e diz "Habemus Papam", que significa 'Temos Papa' em latim (13/03). Foto: ReutersFiéis comemoram escolha do novo papa após badalar dos sinos na Praça de São Pedro, no Vaticano (13/03). Foto: ReutersFiéis comemoram escolha do novo papa após badalar dos sinos na Praça de São Pedro, no Vaticano (13/03/2013). Foto: ReutersFiéis aguardam com ansiedade pelo anúncio do nome do novo papa da Igreja Católica na Praça de São Pedro, Vaticano (13/03/2013). Foto: APMultidão celebra após chaminé da Capela Sistina expelir fumaça branca na Praça de São Pedro, no Vaticano (13/03/2013). Foto: APMultidão de fiéis vê fumaça branca saindo da chaminé da Capela Sistina na Praça de São Pedro no Vaticano (13/03/2013). Foto: APFumaça branca sai da chaminé da Capela Sistina, indicando que um novo papa foi eleito (13/03/2013). Foto: APMulher segura terço enquanto espera votação de novo papa no segundo dia do conclave no Vaticano (13/03). Foto: APFumaça preta emerge da chaminé da Capela Sistina na manhã desta quarta-feira no Vaticano. Foto: APVisitantes se reúnem na Praça de São Pedro enquanto os cardeais se reúnem em conclave papal no Vaticano (13/03). Foto: APVisitantes esperam que fumaça saia pela chaminé da Capela Sistina na Praça de São Pedro (13/03). Foto: APHomem descalço ajoelha em prece na Praça de São Pedro durante conclave dos cardeais (13/03). Foto: APFreiras caminham pelas Colunas Bernini na Praça de São Pedro no segundo dia do conclave (13/03). Foto: APPeregrinos carregam cruz através da Praça de São Pedro enquanto cardeais se reúnem em conclave na Capela Sistina (13/03). Foto: APSob chuva, mulher reza na Praça São Pedro, no Vaticano (13/03). Foto: APFumaça preta sai da chaminé na Capela Sistina na Praça São Pedro, Vaticano nesta terça-feira (12/03). Foto: APFeminista é detida por policiais após protestar contra o papa na Praça São Pedro durante o conclave (12/03). Foto: APFiéis aguardam na Praça São Pedro a fumaça saída da chaminé da Capela Sistina (12/03). Foto: APHomem vestido de monge ajoelha na Praça São Pedro enquanto o conclave se inicia na Capela Sistina (12/03). Foto: ReutersPessoas assistem ao início do conclave pelos telões espalhados na Praça São Pedro, no Vaticano (12/03). Foto: APFreira assiste à missa celebrada por Angelo Sodano em telão na Praça São Pedro, no Vaticano (12/03). Foto: APFreiras se reúnem para a eleição do novo papa ao lado de fora da Basílica de São Pedro, no Vaticano (12/03). Foto: APFiéis assistem à missa na Basílica de São Pedro por meio de telões na Praça São Pedro, no Vaticano (12/03). Foto: APCardeal participa da missa que celebra eleição do papa realizada por Angelo Sodano na Capela Sistina, no Vaticano (12/03). Foto: APCardeal brasileiro Dom Odilo Scherer deixa a Basílica de São Pedro após realização de missa (12/03). Foto: ReutersCardeal Peter Turkson, de Gana, participa da missa que abre os trabalhos do conclave na Basílica de São Pedro, no Vaticano (12/03). Foto: ReutersCardeal decano Angelo Sodano celebra missa na Basílica de São Pedro, no Vaticano, antes do início do conclave (12/03). Foto: Reuters

Para Dom Leonardo Steiner, secretário-geral da Conferência Nacional de Bispos do Brasil, a escolha de um papa argentino indica uma abertura da igreja  para todo o mundo.

"Nós estamos felizes, satisfeitos, já por termos um novo papa, e a escolha de um latino-americano vem mostrar que a Igreja se abre, ela está voltada para toda a Igreja, não é mais uma Igreja só voltada para a Europa", disse.

Dom Steiner ressaltou que a bandeira do novo papa é da humildade. "É um homem muito simples, muito próximo ao povo e nós pudemos perceber isso no gesto, no momento que pediu a oração de todos e se inclinou na direção de todos", comentou. "Francisco de Assis já ajuda a mostrar um pouquinho como ele vê seu serviço como bispo de Roma."

Ele negou que haja tristeza por Dom Odilo Scherer. "Se fosse um brasileiro também ficaríamos contentes, mas estamos muito contentes e o nome que ele escolheu também é muito significativo", afirmou.

Leia tudo sobre: PapaConclaveCatolicismoReligiãovaticanopapa franciscobergoglio

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas