Conclave pode atrasar; Vaticano pede silêncio a cardeais

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Autoridades do Vaticano ordenam que cardeais dos EUA suspendam coletivas de imprensa em meio a sinais de que eleição de novo papa pode não começar na próxima semana

Reuters

Autoridades do Vaticano ordenaram nesta quarta-feira os cardeais reunidos para a eleição do próximo papa para não falarem mais com a mídia, depois de mais indicações de que o conclave pode não começar na próxima semana como era esperado.

Antecipação: Papa muda legislação da Igreja e permite a cardeais iniciar conclave antes

AP
Cardeais deixam celebração na Basílica de São Pedro, no Vaticano

Cardeais americanos que tinham agendada uma terceira coletiva em três dias cancelaram o encontro menos de uma hora antes do previsto no Colégio Norte-Americano, em Roma, onde estão hospedados.

Uma porta-voz dos cardeais disse que a "preocupação" foi expressa na reunião desta quarta a portas fechadas "sobre vazamentos de procedimentos sigilosos reportados em jornais italianos".

Mais de 150 cardeais participaram do terceiro dia das reuniões preliminares para esboçar um perfil para o próximo papa após a surpreendente renúncia de Bento 16 no mês passado. Todos exceto dois dos 115 "cardeais eleitores" com menos de 80 anos chegaram às reuniões, informou o Vaticano.

Dia 28: Pontificado de Bento 16 chega ao fim com retirada da Guarda Suíça

Análise: Papa de 'transição', Bento 16 enfatizou resgate da tradição católica

Em seus briefings, os cardeais americanos não revelaram detalhes, mas falaram em geral sobre o processo, bem como suas esperanças e preocupações sobre o estado da Igreja Católica em um momento crucial de sua história.

Questionado sobre o cancelamento do briefing dos EUA, o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, disse que as reuniões pré-conclave, conhecidas como congregações gerais, tinham que ocorrer em um "clima de confidencialidade".

Cardeais de outros países também vinham falando com a mídia informalmente nas ruas perto do Vaticano, mas os americanos eram o único grupo que dava coletivas formais diárias.

Capela Sistina

O cancelamento do briefing significa que a única fonte oficial de informação virá de um briefing diário do porta-voz do Vaticano. Sob a lei da Igreja, os cardeais têm até 20 de março para iniciar um conclave para escolher um novo papa para liderar a Igreja.

Enquanto muitos observadores esperavam que o conclave começasse no próximo domingo ou segunda, aumentam as indicações de que os cardeais querem mais tempo para refletir sobre quem dentre eles poderia ser melhor para liderar uma Igreja assolada por crises.

Desafios: Disputas, rivalidades e traições do Vaticano aguardam próximo papa

NYT: Novo papa vai liderar Igreja ameaçada por escândalos e avanço protestante

Vários dos prelados deixando as reuniões disseram que os procedimentos preliminares estavam ainda nas fases iniciais e mais tempo seria necessário antes que pudessem decidir sobre quando começar o conclave na Capela Sistina.

Trabalhadores começaram a preparar a capela, construindo um piso suspenso para proteger os azulejos centenários.

No entanto, o porta-voz do Vaticano disse que era importante que ninguém se sentisse "pressionado" para entrar no conclave antes que estivessem prontos e que mais tempo seria necessário para "reflexão".

Leia tudo sobre: renúncia do papaconclavevaticanoigreja católica

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas