Declaração foi dada durante prestação de contas do governo; antes, Nicolás Maduro afirmou que Chávez descuidou da saúde por 'se entregar de corpo e alma pelos mais pobres'

Doze dias depois da volta do presidente da Venezuela ao país, o vice Nicolás Maduro disse que Hugo Chávez "segue batalhando por sua vida e que espera a força de Deus". A declaração foi dada na noite de quinta-feira (28), durante a prestação de contas da gestão do governo em 2012 à Assembleia Nacional.

Maduro: Chávez manteve reunião de quase cinco horas com equipe de governo

Nicolás Maduro acena ao lado do presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Diosdado Cabello (28/02/13)
AP
Nicolás Maduro acena ao lado do presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Diosdado Cabello (28/02/13)


Semana passada: Evolução do estado de Chávez 'não tem sido favorável'

Maduro não deu mais detalhes sobre o estado de saúde de Chávez e lembrou que "ele se entregou de corpo e alma" pelos mais pobres. O comentário foi feito mais cedo, durante entrega de moradias em Caracas. Dirigindo-se ao público que acompanhava a cerimônia, Maduro disse que Chávez adoeceu por sua dedicação ao povo venezuelano.

"Sabem por que o comandante Chávez descuidou de sua saúde e teve que lutar por ela, quase dois anos, no comando da pátria? Porque se entregou de corpo e alma e se esqueceu de suas obrigações consigo", afirmou o vice-presidente no evento.

Leia também: Presidente da Bolívia diz que não conseguiu visitar Chávez na Venezuela

Chávez permanece internado em um hospital militar em Caracas, depois de ter ficado dois meses hospitalizado em Cuba e de ter sido submetido à quarta cirurgia em cerca de um ano e meio .

Em resposta à oposição, que pede "provas de vida" de Chávez, Maduro endureceu o tom, dizendo que "os traidores jamais vão acreditar em nada que se diga ao povo sobre a saúde de Chávez".

Dirigente governista: Prioridade de Chávez é saúde e não política

Os opositores de Chávez reivindicaram que o governo ofereça informações específicas sobre a condição de Chávez e criticaram uma decisão de parlamentares em janeiro de prorrogar indefinidamente a cerimônia de posse para um novo mandato de seis anos.

Janeiro: Dezenas de milhares marcam posse simbólica de Chávez nas ruas de Caracas

Dois importantes juristas venezuelanos pediram na quinta à Suprema Corte que determine se Chávez ainda tem condições de permanecer no poder por meio da indicação de uma equipe de especialistas médicos para examiná-lo. Autoridades do governo insistem que Chávez continua no comando e tem se comunicado com funcionários sobre decisões políticas e tem assinado documentos .

Microblog: De volta à Venezuela, Chávez alcança 4 milhões de seguidores no Twitter

A última vez que o presidente venezuelano foi visto em público foi em dezembro, quando ele partiu para Havana para realizar a cirurgia. O governo divulgou duas fotografias dele em companhia das filhas em fevereiro, quando o presidente ainda estava em Cuba.

Depois da cirurgia, Chávez apresentou insuficiência respiratória e necessita de uma cânula na traqueia para respirar e passa por dificuldades para falar, segundo as últimas informações divulgadas pelo governo.

Chávez surpreendeu a todos em 22 de fevereiro, ao comunicar, via Twitter que estava de volta ao país . Desde seu retorno, diversas manifestações de solidariedade ao líder venezuelano são realizadas em diferentes partes do país.

Janeiro: Dezenas de milhares marcam posse simbólica de Chávez nas ruas de Caracas

A última referência sobre a saúde de Chávez feita por autoridades ocorreu na sexta-feira passada, quando Maduro anunciou que o presidente havia participado de uma reunião de mais de cinco horas no hospital . Segundo o governo, Chávez participou com vivacidade e deu instruções por escrito.

Antes, o ministro da Comunicação da Venezuela, Ernesto Villegas, havia dito que a evolução do estado de saúde do presidente não estava sendo "favorável" . "A insuficiência respiratória persiste e sua tendência não tem sido favorável, razão pela qual continua sendo tratada", afirmou

Com Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.