Após protestos, presidente búlgaro convoca eleição para maio

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Primeiro-ministro Boiko Borisov renunciou na semana passada após protestos contra o preço da energia elétrica - gota d'água para muitos cidadãos do mais pobre país da UE

Reuters

O presidente da Bulgária, Rosen Plevneliev, anunciou nesta quinta-feira que o país terá eleições gerais em 12 de maio e defendeu uma nova cultura política que impeça os cidadãos de serem "roubados" e "enganados".

Dia 21: Parlamento da Bulgária aceita renúncia do governo

Reuters
Primeiro-ministro da Bulgária, Boiko Borisov, fala perante o Parlamento em Sófia (20/02)

Vídeo: Homem sobe em palanque e aponta arma para político búlgaro

O primeiro-ministro búlgaro, Boiko Borisov, renunciou na semana passada, após protestos contra o preço da energia elétrica - a gota d'água para a insatisfação de muitos cidadãos do mais pobre país da União Europeia.

Embora a Bulgária tenha evitado os problemas de dívida e déficit que assolam muitos outros países europeus, ao manter uma moeda própria ancorada ao euro, o crescimento econômico é lento, e o desemprego subiu para quase 12%.

A presença de dezenas de milhares nos protestos levou o governo a fazer algumas concessões, como a promessa de que a tarifa elétrica vai cair 8%. Quem vencer a eleição geral ficará sob intensa pressão para elevar gastos públicos a fim de melhorar o padrão de vida da população.

"Nossos compatriotas deixaram claro que desejam coisas simples: querem políticos decentes, querem não ser roubados, querem não ser enganados e querem viver boas vidas", disse Plevneliev ao Parlamento.

Ele disse que um governo provisório, a ser nomeado provavelmente na semana que vem, terá como objetivo manter a estabilidade e cumprir o orçamento de 2013, que prevê um déficit equivalente a 1,3% do PIB, além de implementar compromissos anteriores, como um aumento de 9% nas pensões em abril.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas