'Queria que cada um sentisse a alegria de ser cristão, de ser amado por Deus, que entregou Seu filho por nós', escreveu Bento 16 um dia antes de renunciar ao cargo

Em seu perfil @pontifex, papa envia mensagem após audiência geral no Vaticano
Reprodução/Twitter
Em seu perfil @pontifex, papa envia mensagem após audiência geral no Vaticano

Após a última audiência geral nesta quarta-feira (27) na Praça São Pedro, o papa Bento 16 postou uma mensagem na rede social Twitter. “Queria que cada um sentisse a alegria de ser cristão, de ser amado por Deus, que entregou o Seu Filho por nós”, disse ele, o primeiro papa a utilizar redes sociais para se comunicar com os fiéis.

Audiência final: Bento 16 se despede do público na Praça de São Pedro

Na mensagem, publicada em seu perfil @pontifex, Bento 16 não mencionou sua decisão de renunciar na quinta-feira (28) ao pontificado, mas durante a celebração este foi o tema principal.

Antecipação: Papa muda legislação da Igreja e permite a cardeais iniciar conclave antes

Vaticano: Bento 16 será chamado de 'papa emérito' após renúncia

Antes da mensagem, o papa emocionou o público que acompanhou sua última aparição pública. Ele circulou no papamóvel, aproximou-se das pessoas e segurou crianças no colo. Mas foi sua celebração que provocou aplausos, inclusive de religiosos que ficaram de pé.

Bento 16, de 85 anos, surpreendeu a Igreja Católica e o mundo no dia 11 de fevereiro ao anunciar sua renúncia , a primeira de um papa em cerca de seis séculos . Ele, que se tornou pontífice em 2005, deu como justificativa para sua decisão a idade avançada e a falta de vigor físico.

11 de fevereiro: Papa Bento 16 anuncia renúncia ao cargo

Internet: Papa abre porta com Twitter, mas jovens esperam 'sucessor 2.0'

Nesta quarta, disse que um papa nunca “está sozinho” e agradeceu a cada um que o apoiou nos oito anos de pontificado. Ele pediu orações para o sucessor e durante o conclave, quando será escolhido o futuro papa.

Segundo Bento 16, sua decisão foi consciente e baseada na coragem de tomar atitudes difíceis. O papa lembrou que quando foi eleito, em 19 de abril de 2005, sentiu “um peso sobre os ombros”, mas pediu luz a Deus.

Segunda: Principal cardeal britânico renuncia em meio a alegações de abusos

Reação: Vaticano critica 'fofocas' e 'calúnias' sobre renúncia do papa

Ao analisar a vida no pontificado, Bento 16 disse que um papa nunca está sozinho. “O papa pertence a todos”, ressaltou. Ele lembrou ainda que um cardeal ao ser escolhido papa  perde sua privacidade e que ao renunciar, ele não voltará à vida que mantinha antes do pontificado.

Durante esses oito anos, disse o papa, "tive momentos de alegria e leveza, mas também momentos que não foram fáceis...momentos de águas turbulentas e ventos agitados".

Bento 16 também aproveitou sua aparição final para explicar mais uma vez por que renunciou ao posto. "Amar a Igreja significa também ter coragem para tomar decisões difíceis e dolorosas, sempre mantendo o bem da Igreja em mente, e não a si mesmo", disse, sob efusivos aplausos.

Com Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.