Negociadores estão otimistas com essa quarta rodada de conversas, realizada no Casaquistão; União Europeia deve oferecer proposta de relaxamento das sanções

Potências mundiais deram início nesta terça-feira (26) a uma nova rodada de conversas com autoridades no Irã, tentando encontrar uma maneira de sair de um impasse sobre o programa nuclear de Teerã e a sua suposta capacidade para produzir armas atômicas.

Leia mais: Potências devem oferecer alívio de sanções ao Irã, diz autoridade dos EUA

Potências mundiais começam a quarta rodada de diálogos com autoridades iranianas
AP
Potências mundiais começam a quarta rodada de diálogos com autoridades iranianas


Dia 23: Irã anuncia descoberta de urânio antes de diálogo sobre programa nuclear

Poucos acreditam que essa tentativa de forjar um compromisso produza quaisquer avanços importantes, mas os negociadores estão otimistas. Autoridades descreveram as discussões diplomáticas no Casaquistão como um caminho para construir algo positivo com o Irã, enquanto o país mantém seu enriquecimento de urânio apesar das severas sanções internacionais.

"A oferta aborda a preocupação internacional sobre a natureza exclusivamente pacífica do programa nuclear iraniano, mas também é sensível às ideias iranianas", disse Michael Mann, porta-voz da chefe de política externa da União Europeia Catherine Ashton, quem lidera as negociações. "Colocamos algumas propostas que permitiriam ao Irã demonstrar alguma flexibilidade."

AIEA: Irã instala centrífugas avançadas para acelerar atividade nuclear

Mehdi Mohammadi, membro da delegação iraniana, disse que Teerã estava preparada para fazer sua própria oferta para colocar um fim ao impasse, mas resistirá a algumas demandas do Ocidente.

O governo Obama está pressionando a diplomacia para resolver o impasse, mas não descartou uma intervenção militar no Irã para impedir que o país adquira armas nucleares. Israel também fez uma ameaça de que usará todos os meios para parar impedir que o Irã faça uma bomba.

Uma autoridade dos EUA que participa dos diálogos disse que o relaxamento de algumas sanções estaria na oferta para o Irã, mas não deu mais detalhes. O novo relaxamento é parte de um pacote que, segundo ele, inclui "mudanças significativas".

Reflexos: Sanções agravam crise do setor de saúde no Irã

Reforço: Obama anuncia novas sanções econômicas contra o Irã

Em comunicado antes do início dos diálogos nesta terça-feira, a Interfax citou o enviado russo dizendo que um afrouxamento das sanções só seria possível se o Irã pudesse garantir ao mundo que seu programa nuclear é exclusivamente pacífico. "Não há certeza de que o programa nuclear iraniano não possui uma dimensão militar, embora não haja nenhuma avidência de que exista uma dimensão militar", disse o vice-chanceler Sergei Ryabkov.

Negativa: Líder supremo do Irã rejeita negociações diretas com EUA

O chanceler chinês disse que a diplomacia oferece o único caminho capaz de resolver a disputa e clamou flexibilidade de ambas as partes. "Pensamos que o problema nuclear com o Irã é muito complicado e sensível. Todas as partes devem ter firmeza e confiança para resolver a questão de forma pacífica, por meio do diálogo e da negociação e tomar uma atitude objetiva e pragmática", disse o porta-voz Hua Chunyin durante reunião em Pequim.

Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.