Bento 16 será chamado de 'papa emérito' após renúncia, diz Vaticano

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Pontífice também continuará usando sua batina branca e manterá o título de 'Sua Santidade' após o dia 28 de fevereiro, dia em que Bento 16 deixar cadeira de São Pedro

O Vaticano respondeu nessa terça-feira algumas das dúvidas sobre o futuro do papa Bento 16 após sua renúncia. O porta-voz do Vaticano, reverendo Federico Lombardi, informou que ele será chamado de "papa emérito", e continuará a vestir uma batina branca.

Segundo Lombardi, essas decisões partiram do próprio Bento 16. Ele também manterá o título de "sua santidade".

Segunda-feira: Papa muda legislação da Igreja e permite antecipar conclave

AP
Trabalhadores erguem palco para a imprensa próximo à praça São Pedro, um dia antes da última audiência pública de Bento 16 como papa


Domingo: Papa, em seu último Ângelus, diz que segue vontade de Deus

O título do papa e as vestimentas que passará a utilizar têm sido as perguntas mais frequentes de jornalistas a representantes do Vaticano desde que o pontífice surpreendeu o mundo com o anúncio de sua renúncia

Ele não usará mais seus sapatos vermelhos, sua marca registrada. Bento 16 ganhou um par de sapatos artesanal marrom em Leon, no México, durante sua visita em 2012. Ele vai usá-lo após sua renúncia.

Reação: Vaticano critica 'fofocas' e 'calúnias' sobre renúncia do papa

Descanso: Papa Bento 16 indica que ficará 'escondido do mundo' após renúncia

No dia 28 de fevereiro, haverá a renúncia oficial de Bento 16 ao cargo de papa. O anúncio, feito no dia 11 de fevereiro, surpreendeu a Igreja Católica e o mundo, pois é a primeira renúncia de um papa em cerca de seis séculos. Ele, que se tornou pontífice em 2005, deu como justificativa para sua decisão a idade avançada e a falta de vigor físico.

Ontem, o papa mudou a lei da Igreja Católica que regula o conclave, ritual que elegerá seu sucessor, permitindo aos cardeais antecipar a data se todos eles tiverem chegado a Roma antes dos 15 dias usuais de transição entre os pontificados.

O pontífice assinou um documento legal com algumas mudanças à lei do Vaticano de 1996 que regula a eleição de um novo papa. A modificação significa que os cardeais não precisam mais esperar 15 dias para iniciar o conclave depois de o papado ficar vago.

Edimburgo: Principal cardeal britânico renuncia em meio a alegações de abusos

A data do início do conclave é importante porque a Semana Santa começa em 24 de março, com o domingo de Páscoa em 31 de março. Com o objetivo de ter um novo papa para o período litúrgico mais solene da igreja, ele teria de ser nomeado até o domingo do dia 17 - um calendário apertado se o conclave fosse começar, como inicialmente previsto, no dia 15.

Leia tudo sobre: renúncia do papabento 16vaticanoigreja católicaconclave

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas