Centro-esquerda conquistou a Câmara, mas o Senado ficou dividido; impasse pode levar a novas eleições

BBC

Com 99,9% dos votos apurados na eleição parlamentar, o Ministério do Interior italiano confirmou nesta segunda-feira (25) os temores dos mercados internacionais e das lideranças europeias, indicando um possível impasse eleitoral: a centro-esquerda, de Pier Luigi Bersani, venceu na Câmara dos Deputados, mas não obteve maioria no Senado.

Boca de urna: Pesquisa indica vantagem da aliança de centro-esquerda em eleição italiana

Fotógrafos registram momento em que líder do Partido Democrata, Pier Luigi Bersani, deposita voto em Piacenza, Itália
AP
Fotógrafos registram momento em que líder do Partido Democrata, Pier Luigi Bersani, deposita voto em Piacenza, Itália



Após a contagem da quase totalidade das urnas, a centro-esquerda conseguiu uma vantagem de 125 mil votos na Câmara, mas o Senado ficou dividido.

Segundo a imprensa italiana, a coalizão de centro-esquerda tem 31,6% dos votos na Câmara, contra 30,7% obtidos pela centro-direita, do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi , 23,8% do Movimento Cinco Estrelas, do comediante Beppe Grillo, e 9,1% do grupo liderado por Mario Monti .

Saiba mais: Entenda as eleições na Itália

O impasse força agora a negociação entre as forças políticas italianas para tentar criar alianças que possibilitem a formação de um governo com maioria nas duas casas do Parlamento. Caso isso não ocorra, novas eleições poderão ser convocadas.

Como é necessário obter maioria em ambas as Casas para aprovar leis, a centro-esquerda vai precisar do apoio do Movimento Cinco Estrelas, do humorista Beppe Grippo, ou da centro-direita do ex-premiê Silvio Berlusconi, o que não é provável.

Cenário: Berlusconi e ascensão de comediante tornam imprevisível eleição na Itália

Grillo deixou claro durante a campanha que não formaria coalizões com nenhuma outra força política.

Manobra: Berlusconi envia pelo correio promessa de restituir impostos

Bersani descreveu a situação como "delicada" e analistas preveem um período de possível instabilidade política no país, o que pode agravar a crise econômica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.