Google Maps divulga detalhes sobre território da Coreia do Norte

Por AP |

compartilhe

Tamanho do texto

Divulgação de nomes de ruas, parques, monumentos e pontos de trem em Pyongyang coincide com visita de presidente-executivo do Google no país

AP

A Google Inc. ajudou a preencher um das últimas lacunas de informação remanescentes ao liberar para o mundo um mapa detalhado da Coreia do Norte, incluindo os nomes das ruas, monumentos e seus notórios campos de prisioneiros.

Informações sobre ruas, parques, monumentos e paradas de trem na capital Pyongyang, Coreia do Norte, até o fim de janeiro apareciam em branco no Google Maps - o isolado regime comunista era o último lugar onde não havia dados disponíveis no programa.

Saiba mais: Coreia do Norte desafia ONU e realiza terceiro teste nuclear

Reação: Conselho de Segurança da ONU vota por ações contra Coreia do Norte

Reprodução
Google Maps dá mais detalhes sobre as ruas de Pyongyang, Coreia do Norte

Leia: Delegação pressiona Coreia do Norte por liberdade da informação na internet

A mudança ocorreu apenas algumas semanas depois que Eric Schmidt, presidente-executivo do Google, visitou o país com uma delegação de 9 pessoas. Durante sua viagem de quatro dias, feita contra a vontade do governo dos Estados Unidos, Schmidt visitou laboratórios de informática em uma das melhores universidades locais e conversou com os alunos.

O Google disse que não há "absolutamente nenhuma conexão entre o mapa e a viagem de Schmidt" à Coreia do Norte.

A empresa anunciou que uma comunidade de "cidadãos cartógrafos" começou a construir o mapa da Coreia do Norte em 2009 com base em imagens de satélite, informações públicas e conhecimento local através de uma ferramenta chamada Map Maker, que permite a colaboração na criação de mapas através de crowd-sourcing. Um cidadão coreano comum provavelmente não seria capaz de contribuir, já que poucos possuem acesso pré-aprovado à Internet.

Celebração: Coreia do Norte marca um ano da morte de Kim Jong-il

Provocação: Coreia do Norte celebra sucesso em lançamento de foguete

Depois, o Google decidiu que tinha informações suficientes para disponibilizar o mapa ao público. Jayanth Mysore, gerente sênior de produtos da empresa americana, disse no blog oficial do Google que o mapa da Coreia do Norte "não é perfeito" e solicitou mais contribuições.

Através do Google Map Maker, um serviço lançado em 2008, os usuários podem adicionar dados para mapas de lugares que não possuem informações tão precisas e detalhadas, como o Paquistão e o Afeganistão. Residentes locais podem atualizar os mapas de suas comunidades com detalhes como novas ciclovias.

Saiba também: Coreia do Norte lança foguete e desafia alertas internacionais

O mapa da capital da Coreia do Norte oferece mais detalhes do que outras partes do país, incluindo os nomes das ruas e da localização da praça em homenagem ao falecido fundador do país, Kim Il Sung.

Google Maps também disponibilizou links para fotografias tiradas na Coreia do Norte. Muitas dessas fotos feitas pelos visitantes mostram ruas e prédios de Pyongyang, enquanto outras fotos são de sites da Coreia do Norte, como NKeconWatch.com.

Tecnologia: Satélite mostra atividade em base de lançamento da Coreia do Norte

O restante do país permanece na maior parte em branco, mas alguns aeroportos, estradas, universidades e ruas principais já estão marcados. O mapa também marcou pelo menos quatro lugares onde o governo da Coreia do Norte é suspeito de ter construído campos de prisioneiros.

An Myung-chul, que administra uma organização sem fins lucrativos chamada de Free Gulag NK em Seul que reúne informações de ex-prisioneiros da Coreia do Norte, disse que as informações do Google Maps sobre os campos de prisioneiros da Coreia do Norte são "bastante precisas", embora um campo de concentração perto Kaechon deveria estar localizado mais para o sul do país.

O grupo disse acreditar que existiam cinco campos de prisioneiros na Coreia do Norte antes de um ter sido fechado em meados de 2012, com base na análise de imagens de satélite e testemunhos de ex-prisioneiros.

Por Youkyung Lee

Leia tudo sobre: coreia do nortegoogleschmidtgoogle mapsmapapyongyang

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas