Papa Bento 16 tem marca-passo 'há algum tempo', diz Vaticano

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Informação não era de conhecimento público, mas porta-voz negou que isso tenha relação com a decisão do pontífice de renunciar ao cargo

O papa Bento 16 teve um marca-passo instalado "há algum tempo", mas não vem sofrendo de problemas de saúde e permanece lúcido e sereno, disse um porta-voz do Vaticano nesta terça-feira, na sequência da decisão do pontífice de renunciar, anunciada na véspera. Não era de conhecimento público que o papa de 85 anos tinha um marca-passo.

Vaticano: Novo papa deve ser nomeado antes da Páscoa

Mudanças na Igreja Católica: Papa Bento 16 anuncia renúncia ao cargo

Infográfico: Conheça a história do papa Bento 16

O porta-voz do Vaticano padre Federico Lombardi disse que as baterias do aparelho foram substituídas há três meses em uma intervenção pequena e de rotina, e que isso não tem relação com a decisão de Bento 16 de deixar a liderança da Igreja Católica no próximo dia 28.

Novo papa: Veja quem são os cardeais mais cotados

AP
Papa anuncia sua renúncia durante uma reunião de cardeais realizada no Vaticano

"Isso não teve influência sobre a decisão, as razões foram de sua percepção de que sua força havia diminuído com o avanço da idade", disse Lombardi em entrevista coletiva no Vaticano.

O novo papa que sucederá Bento 16 será escolhido até a Páscoa

O anúncio de Bento 16 realizado nesta segunda durante um encontro de cardeais no Vaticano surpreendeu até mesmo seus colaboradores mais próximos e chocou o mundo católico - composto por mais um bilhão de fiéis pelo mundo.

Lombardi disse que a decisão de Bento 16, de 85 anos, não foi devido a uma doença, mas um declínio progressivo de seu vigor, o que é natural para um homem na sua idade. "Nos últimos meses, ele tem observado um declínio em seu vigor, tanto de seu corpo quanto de seu espírito", disse Lombardi. "Foi uma decisão pessoal dele, tomada com total liberdade, que merece total respeito."

Galeria de fotos: Relembre a trajetória de Bento 16

Brasil: Arcebispos dizem que Bento 16 deu exemplo de coragem com renúncia

Dom Damasceno: 'Bento 16 não emitirá opinião sobre sucessor'

A decisão abre caminho para a realização de um conclave que elegerá o sucessor de Bento 16 mais rapidamente, uma vez que o tradicional período de luto que segue a morte de um papa não será realizado. A renúncia permite também que Bento 16 tenha influência sobre a escolha de seu sucessor.

Ele já colocou sua marca no Colégio dos Cardeais, responsáveis por eleger o próximo papa, garantindo assim seu legado conservador e um futuro ortodoxo para a Igreja.

Os seus possíveis sucessores incluem o cardeal Angelo Scola, arcebispo de Milão, o cardeal Cristoph Schoenborn, arcebispo de Viena, e o cardeal Marc Ouellet, cardeal chefe do gabinete de bispos do Vaticano.

Todos os cardeais com idade inferior a 80 anos podem votar no conclave, a reunião secreta que ocorre na Capela Sistina, onde os cardeais realizam a eleição do novo papa. Como tradição, as cédulas são queimadas; quando sai fumaça preta da chaminé significa que nenhum papa foi escolhido e quando sai fumaça branca significa que um novo papa foi eleito.

Aos 78 anos, o cardeal Joseph Ratzinger foi um dos papas eleitos com idade mais avançada. Ele assumiu quando a Igreja Católica passava por uma de suas maiores crises - acusações de abuso sexual contra crianças envolvendo padres.

Renúncia

Ao anunciar sua renúncia para o dia 28 de fevereiro, Bento 16 enfatizou que o cumprimento dos deveres de um papa requer "vigor tanto da mente quanto do corpo". "Depois de fazer um repetido exame da minha consciência diante de Deus, eu tive a certeza que minhas forças, devido à minha idade avançada, não são mais adequadas para exercer o ministério petrino", disse Bento 16 aos cardeais. "Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando."

De acordo com o Vaticano, logo após sua renúncia, Bento 16 vai para o Castelo Gandolfo, o retiro de verão do papa no sul de Roma, e, em seguida, iria viver em um monastério.

Estava programada uma visita ao Rio de Janeiro para participar da Jornada Mundial da Juventude em julho desde ano. Até lá, o sucessor já terá sido anunciado e, provavelmente, fará a viagem no lugar de Bento 16 .

Bento 16 já havia alertado para a possibilidade de renunciar se ele estivesse doente ou velho demais para continuar no cargo em 2010, quando foi entrevistado no livro Luz do Mundo

Com AP e Reuters

Leia tudo sobre: renúncia do papapapavaticanobento 16igreja católicaconclave

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas