Papa Bento 16 anuncia renúncia ao cargo

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Pontífice deixará o cargo oficialmente em 28 de fevereiro; Bento 16 justificou saída por sua idade avançada e falta de vigor

O papa Bento 16 anunciou nesta segunda-feira (11) que vai renunciar ao seu cargo em 28 de fevereiro de 2013. Segundo o Vaticano, o papa informou sobre sua decisão em latim durante um encontro de cardeais do Vaticano nesta manhã. Ele enfatizou que o cumprimento dos deveres de um papa requer "vigor tanto da mente quanto do corpo".

Em 2010: Em livro, Bento 16 disse que renunciaria se ficasse incapacitado

AP
Papa Bento 16 anuncia sua renúncia em encontro de cardeais no Vaticano


Galeria de fotos: Relembre a trajetória de Bento 16

A decisão abre caminho para a realização de um conclave que elegerá um novo papa antes da Páscoa. O anúncio de Bento 16 surpreendeu até mesmo seus colaboradores mais próximos e chocou o mundo católico - composto por mais de um bilhão de fiéis pelo mundo.

"Depois de fazer um repetido exame da minha consciência diante de Deus, eu tive a certeza que minhas forças, devido à minha idade avançada, não são mais adequadas para exercer o ministério petrino", disse Bento 16 aos cardeais. "Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando."

"Entretanto, no mundo de hoje, sujeito a tantas mudanças rápidas e e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e proclamar o Evangelho, é necessário o vigor tanto da mente quanto do corpo - vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado."

Georg Ratzinger: 'Idade pesa e Bento 16 quer descansar', diz irmão do papa

Bento 16, 85 anos, se tornou papa em 2005, após a morte de João Paulo 2º. Esse é o primeiro caso de renúncia no papado em quase 600 anos. O último papa a renunciar foi Gregório 12, que se retirou do cargo a contragosto em 1415 em um acordo para colocar fim ao Grande Cisma do Ocidente. O último pontífice a renunciar por vontade própria foi Celestino 5, em 1294, após apenas cinco meses de pontificado.

O Vaticano destacou que nenhuma condição médica específica influenciou na decisão de Bento 16, mas nos últimos anos, a mobilidade do papa ficou bastante reduzida. O número de viagens diminuiu e para chegar ao altar da Basílica de São Pedro, no Vaticano, ele tem utilizado uma plataforma móvel. O irmão do papa, Georg Ratzinger, informou que Bento 16 pensava na renúncia havia meses e que a idade avançada estava pesando sobre ele.

De acordo com o Vaticano, logo após sua renúncia, Bento 16 vai para o Castelo Gandolfo, o retiro de verão do papa no sul de Roma, e, em seguida, iria viver em um monastério. 

Estava programada uma visita ao Rio de Janeiro para participar da Jornada Mundial da Juventude em julho desde ano. Até lá, o sucessor já terá sido anunciado e, provavelmente, fará a viagem no lugar de Bento 16.

Novo papa

A decisão abre caminho para a realização de um conclave que elegerá o sucessor de Bento 16. O diretor de imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, informou que "para a Páscoa, teremos o novo papa".

Papa no Brasil: CNBB espera que primeira visita do novo papa seja ao Rio

Com a renúncia, o conclave será realizado mais rapidamente, uma vez que o tradicional período de luto que segue a morte de um papa não será realizado. A renúncia permite também que Bento 16 tenha uma influência sobre a escolha de seu sucessor. 

Ele já colocou sua marca no Colégio dos Cardeais, responsáveis por eleger o próximo papa, garantindo assim seu legado conservador e um futuro ortodoxo para a Igreja. Bento 16 caracterizou sua renúncia como "uma decisão de grande importância para a vida da igreja".

Os seus possíveis sucessores incluem o cardeal Angelo Scola, arcebispo de Milão, o cardeal Cristoph Schoenborn, arcebispo de Viena, e o cardeal Marc Ouellet, cardeal chefe do gabinete de bispos do Vaticano.

Todos os cardeais com idade inferior a 80 anos podem votar no conclave, a reunião secreta que ocorre na Capela Sistina, onde os cardeais realizam a eleição do novo papa. Como tradição, as cédulas são queimadas; quando sai fumaça preta da chaminé significa que nenhum papa foi escolhido e quando sai fumaça branca significa que um novo papa foi eleito.

A renúncia é permitida no papado; as leis especificam somente que a renúncia deve ser "feita livremente e manifestada apropriadamente". 

Relembre a trajetória do papa Bento 16

Papa Bento 16 anunciou que deixará o cargo no próximo dia 28. Foto: APJoseph Ratzinger nasceu em 1927, numa pequena Alemã. Em 1939, entra no seminário, mas em 1943 é obrigado a se alistar no Exército. Foto: Getty ImagesEle deserta dois anos depois e é preso no campo aliado. Em 1951, é ordenado sacerdote pelo arcebispo de Munique. Foto: Getty ImagesEm 1953, obtém o doutorado em teologia e depois participa do Segundo Concílio do Vaticano.  Em 1977, é nomeado arcebispo e meses depois é elevado a cardeal. Foto: Getty ImagesEm 2002, tornou-se Decano do Colégio dos Cardeais. É um dos mais influentes integrantes da Cúria Romana e um dos principais conselheiros do papa João Paulo 2. Foto: Getty ImagesEm 19 de abril de 2005, aos 78 anos, é eleito papa pelo colégio de cardeais. É o 265ª pontífice e escolhe o nome de Bento 16. Foto: Getty ImagesPapa Bento 16 celebra missa de Natal de balcão da basílica de São Pedro, no Vaticano. Foto: AFPConhecido por posturas mais conservadoras dentro da Igreja, coleciona polêmicas em seu pontificado. Foto: AFP Em junho de 2005, condena o uso de preservativos no combate à Aids. E, em novembro, impõe restrições a homossexuais se tornarem padres. Foto: APPapa recebeu os principais líderes do planeta. Na imagem, com o ex-presidente francês Nicolas Sarkozy. Foto: AFPBento 16 e parlamentares britânicos no Westminster Hall, em Londres. Foto: AFPPapa Bento 16 caminha ao lado do príncipe Felipe e da princesa Letizia após desembarcar em Santiago de Compostela, Espanha. Foto: AFPPapa Bento 16 se reúne com bispos da Inglaterra, Escócia e País de Gales em seu último dia de visita ao Reino Unido. Foto: AFPPapa Bento 16 se encontra com o primeiro-ministro inglês David Cameron. Foto: APPapa Bento 16 é recebido pelo duque de Edimburgo. Foto: APPapa com o jornalista Peter Seewald (E). Foto: AFPPapa Bento 16 (à esq.) observa apresentação de acrobatas do circo italiano Moira Orfei, Irmãos Pellegrini, durante sua audiência semanal no Vaticano. Foto: AFPA mãe da ex-refém Íngrid Betancourt se reuniu com o papa Bento 16. Ele falou que sempre rezava pela ex-refém. Foto: ReutersIngrid Betancourt se encontra com Bento 16, na Itália. Foto: Getty ImagesPapa Bento 16 (à dir.) e a Rainha Elizabeth 2ª observam guarda de honra da Companhia Real de Arqueiros na chegada do pontífice ao Palácio de Holyroodhouse, em Edinburgh. Foto: APPapa comprimenta o cardeal George Pell, no Kenthurst Study Center, em Sydney, Austrália. Foto: AFP PHOTO/Francesco SforzaBento 16 visita Sulmona para comemorar 8º centenário de Celestino V. Foto: © APEm maio de 2007, Bento 16 fez sua visita o Brasil e foi recebido pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Foto: AEAinda no Brasil, o papa celebrou missa em São Paulo, em Aparecida e canonizou Frei Galvão, primeiro santo brasileiro. Foto: AFPPresidente Lula e a primeira-dama, Marisa Letícia, presenteiam Bento 16 durante encontro no Vaticano. Foto: AFPLula e o papa Bento 16 durante o encontro no Vaticano . Foto: Ricardo Stuckert/PREm abril de 2008, faz sua primeira visita aos Estados Unidos, onde encontra vítimas de abuso sexual por membros da Igreja Católica. Foto: AFPPapa encontra o ex-presidente norte-americano George Bush. Foto: AFPPapa Bento 16 assiste ao concerto regido por Inma Shara em homenagem aos 60 anos da Declaração, na cidade de Frankfurt, na Alemanha. Foto: AFPPresidente israelense Shimon Peres recebe Bento 16 no desembarque no aeroporto de Tel Aviv, em Israel. Foto: APPapa encontra líderes religiosos. Em 2009, ele suspendeu a expulsão de quatro bispos conservadores, entre eles um líder que negava a existência do Holocausto. Foto: APMeses depois, em visita a Israel, voltou a decepcionar líderes judeus com discurso considerado brando. Foto: ReutersPomba branca é solta durante a tradicional benção do Angelus que o Papa Bento 16 celebra no Vaticano. Foto: AFPPapa Bento 16 acena para a multidão durante sua audiência semanal no Vaticano. Foto: APStephen Hawking também encontrou-se com Papa Bento 16 no Vaticano. Foto: EFEEm março de 2009, em visita a Camarões e Angola, papa voltou a condenar o uso de preservativos. Foto: Reuters/Romeo RanocoPapa afirmou que a distribuição de preservativos “não resolve o problema da Aids”. Foto: APPapa e presidente de Camarões, Paul Biya, e a primeira-dama, Chantal. Foto: ReutersEvo Morales, presidente da Bolívia, se encontrou com o papa Bento 16. Foto: AFPPapa posa com o ex-presidente dos EUA, George Bush, na base de Maryland. Foto: APObama e a esposa tem primeiro encontro com papa Bento 16. Foto: APPapa visita à gruta, onde Virgem Maria teria dado a luz, na Igreja da Natividade, em Belém. Foto: ReutersBandeira do Brasil é vista durante missa para 40 mil pessoas no Monte do Precipício, em Nazaré. Foto: APA rainha Rania, da Jordânia, foi ao Vaticano em 2007 e teve encontro privado com o papa Bento 16. Foto: Getty ImagesPapa é recebido pela rainha Rania da Jordânia ao desembarcar no aeroporto de Amã. Foto: ReutersPapa reza na igreja Dama da Paz, em Amã, na Jordânia. Foto: ReutersPapa Bento 16 e o rei da Jordânia, Abdullah 2º, posam para foto no aeroporto de Amã. Foto: Getty ImagesPapa Bento 16 durante audiência semanal na Praça de São Pedro, no Vaticano. Foto: ReutersPapa Bento 16 deixa sua audiência geral semanal na Praça São Pedro, no Vaticano. Foto: ReutersPapa Bento 16 ao lado do rabino-chefe de Roma, Riccardo Di Segni. Foto: AFPDom Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, é proclamado cardeal por Bento 16 na Basílica de São Pedro. Foto: Christophe Simon/AFPMedvedev, primeiro-ministro da Rússia, e Bento 16 trocam presentes no Vaticano. Foto: ReutersApós sofrer uma queda, Bento 16 foi submetido a uma cirurgia no pulso direito. Foto: ReutersEm 2010, explodem denúncias de abuso sexual de menores por membros da Igreja Católica. Foto: AFPEm resposta às pressões, o papa divulga uma carta na qual expressa “vergonha” pelos crimes de pedofilia e pede “desculpas às vítimas”. Foto: APEm setembro de 2012, papa visitou o Líbano e fez um discurso pela paz. Foto: ReutersPapa Bento 16 pediu que os cristãos ajudem para o fim do “caminho sombrio da morte” no Líbano e pediu paz. Foto: ReutersDom Fernando Panico e o papa Bento 16. Assunto foi o reconhecimento das romarias do Padre Cícero. Foto: Divulgação/Diocese do CratoPara Bento 16 durante encerramento de Jornada Mundial da Juventude, em Madrid, na Espanha. Próxima etapa, já com novo papa, será no Rio de Janeiro, neste ano. Foto: APPapa Bento 16 fala com a chanceler alemã, Angela Merkel, na sede da Conferência de Bispos Alemães em Berlim. Foto: APBento 16 acena para fiéis em frente à catedral de Erfurt, na Alemanha. Foto: APPresidente do Benin, Thomas Yayi Boni (E), cumprimenta papa Bento 16 em sua chegada a Cotonou. Foto: AFPPapa nomeia cardeais, na Basílica São Pedro, Vaticano. Foto: APPapa Bento 16 atraiu multidões durante sua visita ao México e usou o chapéu tradicional do país. Foto: APBento 16 é recebido no aeroporto de Santiago de Cuba. Foto: APBento 16 foi recebido por Raúl Castro, em Santiago de Cuba. Foto: APVisita a Cuba foi realizada 14 anos após a viagem do papa João Paulo 2º. Foto: APFoto divulgada pelo Osservatore Romano, jornal do Vaticano, mostra papa Bento 16 com o líder cubano Fidel Castro em Havana. Foto: APPapa durante o anúncio de sua renúncia, no Vaticano. Foto: AP

Bento 16 já havia alertado para a possibilidade de renunciar se ele estivesse doente ou velho demais para continuar no cargo em 2010, quando foi entrevistado no livro Luz do Mundo (tradução livre). 

"Se um papa percebe claramente que não tem mais condições físicas, psicológicas e espirituais de encarregar-se dos deveres de seu cargo, ele tem o direito e, sob certas circunstâncias, a obrigação de renunciar", disse. 

Aos 78 anos, o cardeal Joseph Ratzinger foi um dos papas eleitos com idade mais avançada. Seu papado foi marcado por uma das maiores crises na Igreja Católica - acusações de abuso sexual contra crianças envolvendo padres.

Leia tudo sobre: bento 16igreja católicapaparenúncia do papaconclave

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas