Vítimas foram surpreendidas em frente a tribunal. Dois policiais ficaram feridos

Reuters

Um homem perseguindo uma de suas vítimas atirou e matou duas mulheres que estavam à espera de passar por detectores de metal em um tribunal em Wilmington, estado americano de Delaware, nesta segunda-feira. Em seguida foi morto em uma troca de tiros com a polícia.

Leia também:
Milhares marcham contra armas nos EUA
Casa Branca divulga foto de Obama atirando 

Dois policiais, um de 42 e outro de 50 anos, também foram atingidos por balas no tiroteio no tribunal de New Castle, mas foram salvos por seus coletes à prova de bala, disse o sargento de polícia da polícia estadual de Delaware Paul Shavack em uma coletiva de imprensa. Eles foram tratados no hospital com ferimentos leves.

O atirador, cuja idade está entre 50 e 60 anos, tinha possivelmente como alvo uma das mulheres, disse Shavack. Ele se recusou a comentar sobre relatos de que uma delas era esposa do atirador. "Esta não foi uma bala perdida", afirmou Shavack.

O fato ocorreu em meio a um debate nacional sobre a violência armada que ganhou urgência após o atentado contra alunos de uma escola em Newtown, em Connecticut, em dezembro.

Segundo a polícia, os tiros foram disparados logo após a abertura do tribunal às 8h e as duas mulheres foram atingidas enquanto esperavam para atravessar detectores de metal na entrada do lobby.

Houve uma troca de tiros com policiais que estavam nos detectores de metais e o atirador foi morto. Não ficou claro se ele tirou a própria vida ou se foi morto pela polícia, informou Shavack.

A polícia se recusou a divulgar qualquer informação adicional sobre a identidade do atirador ou das vítimas.

Autoridades estavam revendo a fita de vigilância, chamadas de emergência e entrevistando testemunhas para determinar o que aconteceu. "Uma troca de tiros aconteceu, temos essas pessoas baleadas", disse Shavack. "Eu não posso dar detalhes de quem atirou em quem."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.