EUA contam prejuízos após forte tempestade de neve

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ao menos nove pessoas morreram, sendo três no Canadá. Cerca de 350 mil residências continuam sem energia

As autoridades americanas ainda contam os prejuízos causados pela forte tempestade de neve que atingiu neste fim de semana a costa nordeste dos Estados Unidos. Ao menos nove pessoas morreram, sendo três no Canadá, e mais de 700 mil residências ficaram sem energia elétrica.

Com ventos de mais de 100 km/h em alguns locais, a tempestade cobriu algumas cidades com mais de um metro de neve e obrigou o cancelamento de milhares de voos, além de suspender parte do transporte de trens e nas estradas.

Leia também: Neve despejada por tempestade nos EUA chega a quase um metro

AP
A Estátua da Liberdade é vista através da névoa em Nova York, EUA (9/2)


Imagens: Assista vídeo com imagens dos EUA após neve

Os Estados de Massachusetts, Rhode Island, Nova York, Connecticut e Maine foram os mais afetados.

As autoridades de Massachusetts e Connecticut reabriram na noite de sábado as estradas dos Estados, que haviam sido fechadas por precaução. No condado de Suffolk, no Estado de Nova York, a polícia diz ter resgatado centenas de motoristas presos durante a noite em uma das principais estradas da região, a Long Island Expressway.

Emergência

Enquanto a tempestade de neve se movia gradualmente para a direção do Oceano Atlântico, as medidas de emergência adotadas pelas autoridades locais foram mantidas.

A tempestade contribuiu para pelo menos cinco mortes em Connecticut e duas cada um no Estado de Nova York e em Boston, disseram as autoridades. Um motorista em New Hampshire também morreu quando saiu de uma estrada, mas autoridades disseram que sua saúde pode ter sido um fator para o acidente.

Caso recente: Tempestade Sandy causa mortes e queda de energia nos EUA

Europa: Neve atinge continente

O prefeito da cidade de Stratford, em Connecticut, John Harkins, afirmou que a nevasca foi a mais forte que ele já viu na vida. "Até os veículos limpa-neve estão ficando presos na neve", disse ele à TV local WITH.

Os tratores da cidade de Nova York abriram caminho nas ruas residenciais e centenas, se não milhares, de pessoas tentavam desenterrar os seus carros dos montes de neve.

"Desisto", disse Giovanni Marchenna, de 52 anos, com uma risada. "Parece que vou ter que trabalhar de metrô até a neve derreter", completou ele, depois de mais de uma hora cavando na neve.

Segundo companhias de energia, cerca de 350 mil clientes ainda estavam sem eletricidade em nove Estados, após a nevasca ter derrubado galhos e cabos de energia. Cerca de 700 mil casas e escritórios ficaram sem luz em algum momento do sábado.

Voos começam a normalizar

O tráfego aéreo começou a voltar ao normal neste domingo depois do cancelamento de 5.800 voos na sexta-feira e no sábado, de acordo com o serviço de rastreamento de voos Flightaware.

O Aeroporto Internacional Bradley, em Windsor Locks, de Connecticut, e o Aeroporto MacArthur de Long Island, do Estado de Nova York, reabriram na manhã deste domingo, depois de permanecerem fechados no sábado. O aeroporto internacional de Boston reabriu no fim do sábado.

As rodovias em Connecticut e Massachusetts permaneciam perigosas, de acordo com o departamento de transportes. Em Cambridge, Massachusetts, moradores tiravam a neve dos carros e das ruas sob o céu claro da tarde deste domingo.

Nova tempestade

Há previsão de uma nova tempestade de neve, que deve trazer ventos de Colorado para Minnesota na segunda-feira, de acordo com o serviço nacional de meteorologia.

A expectativa é de que Dakota do Sul seja a região mais atingida, com ventos de até 80 quilômetros por hora. A tempestade pode atingir partes de Nebraska, Dakota do Norte, Wyoming e Wisconsin.

As autoridades em Dakota do Sul fecharam 240 quilômetros de uma rodovia interestadual no centro do Estado. Um trecho de 120 quilômetros de uma outra rodovia, perto de Dakota do Norte, também foi fechado.

Segundo as autoridades, motéis estão cheios de viajantes tentando evitar a tempestade e a visibilidade nula nas estradas.

A tempestade despejou 81 centímetros de neve em Portland, Maine, quebrando um recorde de 1979, disse o serviço de meteorologia. Ventos sopraram a 134 quilômetros por hora em Cuttyhunk, Nova York, e derrubaram árvores em toda a região.

Segundo os meteorologistas, a forte tempestade deste fim de semana é o resultado de condições "excepcionais", com a colisão de duas frentes frias sobre a região.

Com BBC, Reuters e AP

Leia tudo sobre: nevetempestade de nevenevascaeuanova yorkbostoncanadá

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas