Evento da campanha eleitoral de Correa termina com dois mortos no Equador

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Homem matou a facadas dois manifestantes pró-governo e deixou ao menos outros quatro feridos; um suspeito está detido

Uma passeata de campanha em favor do presidente do Equador terminou em morte na noite da segunda-feira (4) quando um homem matou a facadas dois manifestantes, informou a mídia estatal do país. Segundo a agência Andes, ao menos quatro outros participantes foram feridos no evento que contaria com a presença de Rafael Correa.

Eleição: Rafael Correa e mais sete candidatos iniciam campanha no Equador

Reuters
O presidente do Equador, Rafael Correa, em entrevista após a Inglaterra ameaçar invadir a embaixada equatoriana (18/8/2012)


Entenda: Rafael Correa vai disputar a reeleição para a presidência do Equador

A agência publicou um vídeo que mostrava um homem esfaqueando as vítimas de forma aleatória em meio a cerca de 100 pessoas na província de Esmeraldas. Alguns dos presentes tentou parar o homem, mas ele conseguiu fugir.

Correa caracterizou o ataque contra seus apoiadores como uma tragédia. "Pessoa maluca esfaqueia sete pessoas do AP que esperavam pelo presidente. Duas morreram", disse Correa em sua conta no Twitter, referindo-se aos partidários de seu movimento político Alianza País (AP).

Saiba mais: Equador revive conflito sobre exploração de petróleo na Amazônia

Leia também: Correa proíbe ministros de dar entrevistas à imprensa 'indecente'

O ministro do interior do país, José Serrano, disse que um suspeito foi detido. "A polícia nacional procedeu para capturar o suspeito de ter praticado estes eventos. Mas, não podemos dizer, absolutamente, que essa pessoa detida foi o autor (das facadas)."

Correa deve vencer a eleição do dia 17 de fevereiro. As pesquisas o apontam com entre 50% e 60% das intenções de voto, ao menos 30 pontos percentuais acima do seu adversário mais próximo, o ex-banqueiro Guillermo Lasso.

Com Reuters

Leia tudo sobre: equadormanifestaçãogovernocorreaeleição no equadormorteviolência

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas