Moradores de cidade dos EUA rezam pela libertação de refém de 5 anos

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Suspeito de matar motorista de ônibus escolar está com a criança em um bunker desde terça-feira

Reuters

AP
Policiais se aproximam do local onde fica o bunker no qual um veterano de guerra mantém um menino de cinco anos

Moradores de uma cidade rural no Alabama, nos Estados Unidos, oraram pedindo a libertação de um garoto de 5 anos que era mantido preso debaixo da terra pelo quarto dia por um homem acusado de matar a tiros um motorista de ônibus e então sequestrar a criança.

Entenda: Criança é mantida refém pelo terceiro dia após tiroteio no Alabama 

O suposto atirador está em um impasse com os agentes de segurança perto da pequena cidade de Midland City desde terça-feira (29), quando as autoridades dizem que ele pegou o aluno da educação infantil de um ônibus escolar, depois de matar o motorista Charles Albert Poland Jr., de 66 anos.

O suspeito e a criança, que segundo a opinião geral não se conheciam, então desapareceram em um bunker subterrâneo na propriedade do homem no sudeste do Alabama, que seria equipado com eletricidade e provisão para várias semanas.

O tiroteio e o sequestro aconteceram enquanto o país debate a violência armada, principalmente em escolas, depois que um homem armado matou 20 estudantes e seis membros docentes de uma escola primária de Connecticut em dezembro.

Negociadores da polícia continuavam a se comunicar com o homem, identificado pelos vizinhos como Jimmy Lee Dykes, de 65 anos. Autoridades disseram acreditar que a criança não está ferida.

Michael Senn, um pastor que vive perto da estrada de terra particular que vai até a propriedade de Dykes, disse ao jornal Dothan Eagle que as autoridades foram capazes de manter o contato com Dykes através de um tipo de cano, possivelmente feito de PVC, que ia até o bunker.

Leia: Obama busca apoio de policiais para combate às armas  

"Eles estão falando com ele regularmente", disse Senn. Agentes de segurança ofereceram poucos detalhes sobre o impasse e não divulgaram oficialmente os nomes do suspeito e da criança. Mas cartazes vistos pela cidade identificam o garoto como sendo Ethan. Um funcionário da escola disse que ele fará seis anos na próxima semana.

Mensagens como "por favor, liberte Ethan" e "Orando por Ethan" eram vistas em frente da prefeitura, onde uma vigília a luz de velas na noite de quinta-feira atraiu cerca de 100 pessoas.

Muitos dos presentes eram estudantes do colégio Dale County, que junto com várias outras escolas está fechado desde o início do impasse.

Dykes deveria ter comparecido a um julgamento fechado na quarta-feira, depois de sua prisão no mês passado por ter ameaçado um de seus vizinhos, mostraram registros judiciais.

Um investigador do escritório do xerife do Condado de Dale disse ao blog Hatewatch, do Poverty Law Center, nessa semana que Dykes foi descrito como um veterano do Vietnã que não confiava no governo.

Leia tudo sobre: estados unidosalabamasequestroviolência

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas