Explosão atinge sede da gigante estatal de petróleo mexicana

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Explosão em sede da Pemex deixa ao menos 32 mortos e 121 feridos na Cidade do México. Equipes de resgate mantêm buscas por eventuais vítimas

O número de mortos em consequência de uma explosão na quinta-feira na sede da companhia petrolífera estatal Pemex, na Cidade do México, chegou a 32, segundo o Ministério do Interior. Há ao menos 121 feridos.

Hoje: Equipes de resgate do México mantêm buscas na sede da Pemex após explosão

AP
Bombeiros procuram vítimas nos escombros após explosão na sede da Pemex (31/01)

Leia também: Fogo vai e vem em refinaria de petróleo na Venezuela

O ministro do Interior do México, Miguel Osorio Chong, disse que, apesar de não haver certeza se algumas das 10 mil pessoas que diariamente circulam no complexo de cinco prédios da Pemex  estariam presas no edifício de 14 andares onde houve a explosão, as equipes de resgate seguirão trabalhando no local até que estejam seguras de que não há mais vítimas.

As causas da explosão no prédio administrativo que fica próximo da torre de 51 andares da Pemex, no centro da área comercial da cidade, ainda estão sob investigação, segundo a companhia de petróleo. "A investigação deve determinar dado precisos, confiáveis e contundentes para conhecer a origem e as causas do sinistro", disse Osorio na noite de quinta.

As teorias vão de curto circuito, problema de ar-condicionado a um possível ataque. O presidente do México, Enrique Peña Nieto, conclamou as pessoas a não fazer especulações sobre o incidente.

A explosão aconteceu às 15h45 (19h45 em Brasília), durante a troca de turno - o que tornou a área particularmente movimentada - e atingiu o porão e os dois primeiros andares, que, segundo os resgatistas, caíram um sobre o outro. Imagens de TV mostravam escombros espalhados na frente do edifício, além de ambulâncias da Cruz Vermelha atendendo os feridos.

O presidente da Pemex, Emilio Lozoya, anunciou no Twitter que estava retornando de uma viagem pela Ásia e que serão investigadas "a fundo as causas em plena coordenação com as autoridades. Neste momento é prioritário atender a todos os feridos".

A empresa informou em um comunicado que, apesar do incidente, cumprirá seus compromissos comerciais e financeiros. "A Pemex reitera que não se verá afetada de nenhuma maneira a operação normal da empresa. Todos os compromissos assumidos com seus parceiros comerciais e financeiros serão cumpridos em tempo", assegurou.

Apreensão

Reuters
Parentes de empregados da Pemex esperam por informação do lado de fora de hospital em Azcapotzalco, na Cidade do México (31/01)

Parentes de empregados da companhia se reuniram do lado de fora do prédio para buscar informações, segundo a imprensa local. Muitos tentavam sem sucesso telefonar para os celulares de seus parentes. "O carro dele está aqui. Já liguei umas 20 vezes e não consigo falar com ele", disse José Luis García, de 56 anos, que procurava o filho de 35 anos.

"Foi uma cena chocante, a energia elétrica acabou e em instantes havia escombros por todo lugar. Colegas nos ajudaram a sair do prédio", disse o sobrevivente Cristian Obele. "As pessoas começaram a correr do prédio cobertas de poeira. Muitos destroços voaram", disse outra testemunha.

Penã Nieto e o prefeito da Cidade do México, Miguel Angel Mancera, foram ao local da explosão. "Lamento profundamente as mortes de nossos colegas da Pemex. Minhas condolências para os parentes", disse o presidente por meio do Twitter. Ele ordenou que uma investigação seja realizada para descobrir as causas do acidente.

Previamente ao incidente, a Pemex informou por meio do Twitter que sua sede central teve de ser desocupada por uma falha no fornecimento de energia. Nos últimos anos, a Pemex tem sofrido uma série de acidentes fatais. Em setembro, uma explosão deixou 30 mortos em uma usina processadora de gás natural no norte do país.

*Com AP, BBC e Reuters

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas