Presidente assume segundo mandato em cerimônia perante centenas de milhares em Washington: 'Fomos feitos para este momento, e vamos aproveitá-lo se o fizermos juntos'

O presidente dos EUA, Barack Obama, declarou nesta segunda-feira que uma década de guerra está chegando ao fim, a economia do país está em recuperação e "as possibilidades dos EUA são ilimitadas" em discurso que marcou a posse para seu segundo mandato após cerimônia pública perante centenas de milhares no Capitólio (prédio do Congresso), em Washington.

Posse: Frente a múltiplos desafios, Obama assume 2º mandato em cerimônia pública

Presidente Barack Obama pronuncia discurso de posse no Capitólio, Washington (21/01)
AP
Presidente Barack Obama pronuncia discurso de posse no Capitólio, Washington (21/01)

Infográfico: Relembre os primeiros quatro anos de Obama no poder

Detalhando um amplo programa para seus próximos quatro anos, o líder americano usou seu discurso de posse para conclamar o país à união para lidar com várias questões, da mudança climática ao ato de honrar a dignidade de homens, mulheres e crianças em todo o mundo.

"Meus concidadãos, fomos feitos para este momento, e vamos aproveitá-lo se o fizermos juntos", disse Obama. Ele também marcou uma nova direção na política externa, enquanto os EUA se preparam para retirar soldados do Afeganistão , pondo fim a uma das mais longas guerras do país.

"Nós, o povo, ainda acreditamos que, para manter a segurança e a paz duradouras, não é necessária a guerra perpétua", afirmou o presidente do lado de fora do Capitólio, observando uma multidão no National Mall.

Saiba mais: Veja todas as notícias sobre a posse de Obama

O pronunciamento de Obama abordou as amplas dádivas que fazem o país se unir, apontando para o trabalho que está à frente, para "as realidades de nosso tempo".

Ele disse que os EUA terão de fazer escolhas difíceis para reduzir o déficit e reduzir o custo da assistência à saúde. "Mas rejeitamos a crença de que os EUA têm de escolher entre cuidar da geração que construiu esse país e a geração que construirá seu futuro."

A cerimônia desta segunda representou a segunda vez em 24 horas que Obama fez o juramento ao cargo. A posse oficial ocorreu, como determinado pela Constituição, ao meio-dia de 20 de janeiro em cerimônia privada na Casa Branca. Os organizadores dos eventos consideraram que seria inadequado fazer uma grande atividade popular no fim de semana, e por isso transferiram as principais festividades da posse para esta segunda. Assim como Obama, o vice-presidente Joe Biden também repetiu o juramento nesta segunda.

Obama, o organizador comunitário e professor de lei constitucional que teve uma ascensão improvável para o centro do poder, está perante uma nação mergulhada em desunião partidária, uma economia ainda fraca e uma variedade de desafios no exterior.

O líder americano também enfrenta uma posição menos favorável no palco mundial, onde as expectativas em relação a ele eram tão altas há quatro anos que o fizeram ser premiado com o Prêmio Nobel da Paz poucos meses depois do início do seu primeiro mandato. "Apenas raramente uma pessoa captura, da mesma forma que Obama, a atenção do mundo e dá à sua população a esperança de um futuro melhor", afirmou o Nobel em 2009.

Quatro anos depois de fazer história ao se tornar o primeiro presidente negro dos EUA, Obama iniciou seu segundo mandato com uma cerimônia que teve a pompa tradicional, mais foi mais modesta do que a de 2009, o que reflete as expectativas menores que cercam seus próximos quatro anos no cargo. O início do segundo mandato teve menos gente na rua, menos festas populares e menos bailes oficiais.

A expectativa dos organizadores era de que entre 700 mil e 1 milhão de pessoas comparecessem à avenida National Mall para assistir ao segundo juramento, total bem inferior à multidão de 1,8 milhão que lotou o local na posse de 2009.

Veja as fotos da posse de Obama:

Uma pesquisa NBC/Wall Street Journal na semana passada mostrou que 43% dos americanos estão otimistas com os próximos quatro anos, enquanto 35% estão pessimistas e 22% estão divididos.

Na noite de domingo, as autoridades fecharam várias ruas de Washington por causa da cerimônia pública. Barreiras de segurança foram montadas, e milhares de policiais e agentes da Guarda Nacional foram mobilizados.

Após a cerimônia de posse, os casais Barack e Michelle Obama e Joe e Jill Biden participaram de um almoço e de um desfile que foi do Congresso à Casa Branca pela avenida Pensilvânia.

*Com AP e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.