Crise com reféns em fábrica de gás Amenas Ain, no sudeste da Argélia entra no quarto dia. Dezesseis reféns estrangeiros foram libertados

Reuters

Reuters

Foto de 19/04/2005 mostra campo de gás de  Ain Amenas na Argélia, onde militantes islâmicos fizeram reféns em 16 de janeiro de 2013
AP
Foto de 19/04/2005 mostra campo de gás de Ain Amenas na Argélia, onde militantes islâmicos fizeram reféns em 16 de janeiro de 2013

Dezesseis reféns estrangeiros que estavam sob poder de combatentes islâmicos que atacaram uma planta de gás na Argélia foram libertados neste sábado, disse uma fonte próxima à crise. No local, as forças especiais da Argélia encontraram 15 corpos queimados.

Entre os libertados estavam dois norte-americanos, dois alemães e um português, disse a fonte à Reuters. A nacionalidade dos demais não ficou imediatamente clara.

Leia mais: Governo diz que 12 reféns morreram

Quarta: Grupo ligado à Al-Qaeda faz estrangeiros reféns em usina de gás na Argélia

Quinta: Argélia lança operação para resgatar reféns de militantes em campo de gás

Sexta: Crise de reféns deixa dezenas de estrangeiros desaparecidos na Argélia

Uma investigação estava em curso para tentar identificar os corpos, que foram encontrados após o exército argelino lançar uma operação para libertar dúzias de estrangeiros e trabalhadores argelinos na usina de gás dirigida pela BP, Statoil da Noruega e a estatal de petróleo da Argélia.

Não houve nenhuma indicação imediata das circunstâncias da morte dos encontrados neste sábado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.