Temporais matam quatro e forçam fechamento de várias empresas e órgãos públicos; governo orienta população de Jacarta a ficar em casa para diminuir congestionamentos

Reuters

Reuters

Intensas chuvas das monções causaram grandes inundações nesta quinta-feira em vários pontos de Jacarta, capital da Indonésia, levando ao fechamento de várias empresas e órgãos públicos. Pelo menos 20 mil precisaram deixar suas casas na cidade, e meteorologistas alertam que a chuva ainda deve se intensificar nos próximos dias nas montanhas que cercam Jacarta, o que deve causar enchentes.

Dia 12: Deslizamento de terra no sul da China deixa 46 mortos, incluindo 19 crianças

Pai atravessa com filhas rua inundada em distrito comercial de Jacarta
Reuters
Pai atravessa com filhas rua inundada em distrito comercial de Jacarta

Quatro pessoas morreram, segundo a Agência Nacional de Prevenção de Desastres, que orientou a população a não sair de casa para diminuir os congestionamentos em vias interditadas. Houve chuvas torrenciais em grande parte do país, incluindo na ilha de Java, a mais populosa, e no sul de Sumatra, uma importante área agrícola.

Mas as autoridades disseram que não há danos graves às lavouras de arroz, cana e dendê do país. Na zona oeste de Jacarta, foram registrados 175 milímetros de chuvas entre 7h e 12h (hora local). "Em 30 anos de vida aqui, nunca inundou, jamais. Essa foi a primeiríssima vez", disse Ninuk, de 30 anos, que vive no centro da cidade.

O principal aeroporto da cidade continuou operando, mas muitos acessos a ele foram interditados. Trens urbanos e ônibus pararam de circular. A bolsa de Jacarta abriu, mas o movimento foi baixo.

Até o palácio presidencial foi inundado, obrigando ao adiamento de uma reunião do presidente Susilo Bambang Yudhoyono com sua colega argentina, Cristina Kirchner.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.