Mais destroços do tsunami do Japão devem chegar à costa oeste dos EUA

Por AP |

compartilhe

Tamanho do texto

Catástrofe arrastou 5 milhões de toneladas de detritos para o mar em março de 2011; bolas de futebol, barcos de pesca e cais de madeira estão entre os objetos levados pelo oceano

AP

AP

Os voluntários que patrulham as praias da Califórnia em busca de plástico, bitucas de cigarro e outros lixos nestes meses vão estar à procura de restos do monstruoso tsunami que atingiu a costa japonesa em março de 2011.

A catástrofe arrastou 5 milhões de toneladas de resíduos para o mar. A maioria desses detritos afundou, mas cerca de 1,5 milhão de toneladas permanecem sobre a água. Não se sabe ao certo a quantidade de destroços - espalhados por uma área equivalente a três vezes o tamanho dos EUA - que ainda está à deriva. 

Leia também: Equipes identificam destroços de tsunami no Japão em praias americanas

AP
Homem observa um cais de madeira com inscrições japonesas levado após o tsunami a costa de Oregon


Saiba mais: Restos do tsunami japonês provocam interesse arqueológico

No ano passado, a Guarda Costeira dos EUA avistou um enorme cais de madeira que possivelmente veio do Japão e chegou a uma praia selvagem no Estado de Washington.

A Costa Oeste está se preparando para mais descobertas como esta nos próximos meses, à medida que os ventos sazonais e as correntes marítimas tendem a conduzir destroços para a terra.

A Administração Oceânica e Atmosférica Nacional recebeu recentemente uma doação de US$ 5 milhões do Japão para rastrear e remover os destroços do tsunami.

Leia também: Costa do Alasca fica cheia de possível lixo do tsunami do Japão

Um ano após tsunami: Veja antes e depois da reconstrução

Escombros da Ásia rotineiramente flutuam para os EUA e é extremamente difícil saber se algo de fato foi deslocado por conta do tsunami japonês se não houver um número de série, um número de telefone ou outro indicador.

Dos mais de 1,4 mil itens descobertos na costa, a agência só conseguiu rastrear 17 peças do tsunami, incluindo pequenos barcos de pesca, bolas de futebol, um cais e um contêiner.

Charlie Plybon, gerente regional da Fundação Surfrider, de Oregon, disse que o tsunami tem contribuído para sensibilizar os banhistas sobre o lixo marinho que assola o litoral do mundo.

"Há um pouco de febre em relação aos destroços do tsunami. É como uma caça ao ovo de Páscoa", disse Plybon, que limpa a costa do Estado de Oregon há mais de uma década. "Antes, as pessoas costumavam passar reto pelos detritos. Agora elas querem se envolver."

Ondas do tsunami inundaram uma usina nuclear japonesa e varreram os destroços para o oceano, mas especialistas em saúde disseram que os destroços que chegam à Costa Oeste não devem estar radioativos pois cruzaram milhares de quilômetros no oceano.

Por Alicia Chang

Leia tudo sobre: tsunamijapãoterremotodestroçoseuacalifórniaoregon

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas