Paquistão decreta três dias de luto em província após ataques

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Em todo o país, número de vítimas subiu para 120; duas explosões em sala de bilhar localizada em região xiita deixaram 86 mortos

O Paquistão decretou três dias de luto nesta sexta-feira (11) na província do Baluquistão após uma série de explosões que deixou mais de 100 mortos no país na quinta-feira (10).

A maior parte das mortes ocorreu em decorrência da explosão de duas bombas em uma sala de bilhar em Quetta, capital da província do Baluquistão. Cinco feridos neste ataque morreram durante a noite, aumentando o número de vítimas fatais para 86. Ente os mortos, estava Irfan Ali, ativista pró-direitos humanos que, supostamente, estava ajudando os feridos da primeira explosão.

Paquistão: Explosões deixam mais de 80 mortos em sala de bilhar em Quetta

AP
Paquistaneses em luto velam os corpos de seus parentes que foram mortos nos ataques de quinta-feira em Quetta


Tensão com o rival: Soldado do Paquistão morre por disparos de militares da Índia

Em todo o Paquistão, foram 120 mortos nos três atentados que tinham como alvo xiitas e soldados em Quetta e religiosos em uma mesquita sunita na região noroeste.

A primeira explosão na sala de bilhar, localizado em uma região xiita da cidade, foi executada por um homem-bomba. Minutos depois, um carro com explosivos foi acionado no mesmo lugar. Militantes geralmente usam esse método para aumentar o número de mortos, uma vez que atinge também os que tentam fugir da primeira explosão.

Drone: Avião não tripulado dos EUA mata militantes no Paquistão

A minoria xiita paquistanesa tem sido cada vez mais atingida por sunitas radicais que os consideram hereges. Lashkar-e-Jhangvi, um grupo militante sunita com ligado ao Taleban, reivindicou responsabilidade pelo ataque. Xiitas da etnia hazara, que migraram do Afeganistão há mais de 100 anos, foram os principais prejudicados pelo Lashkar-e-Jhangvi em Quetta no ano passado, mas o ataque de quinta-feira foi o mais sangrento até então.

Outra bomba, escondida em uma bolsa, foi acionada próxima a um veículo de soldados paramilitares em outro ponto da cidade. Essa explosão deixou 12 mortos e mais de 40 feridos. A bomba chegou a ser notada por um residente local, mas foi detonada por controle remoto antes que os soldados pudessem reagir.

Malala Yousafzai: Menina paquistanesa atacada pelo Taleban deixa hospital britânico

O Exército Unido do Baluquistão, um grupo separatista, reivindicou responsabilidade por esse ataque. O Paquistão presenciou um aumento da insurgência nacionalista na região do Baluquistão nos últimos anos.

O terceiro atentado atingiu uma mesquita na cidade de Mingora, a noroeste do Paquistão, deixando 22 mortos e ferindo mais de 70. Até o momento, nenhum grupo reivindicou a autoria dessa explosão.

Com AP e BBC

Leia tudo sobre: paquistãobaluquistãoquettaterrorismoxiitasunita

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas