Apresentador da TV britânica cometeu mais de 200 crimes sexuais, diz polícia

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo relatório, Jimmy Savile, morto em 2011, praticou abusos contra crianças e adolescentes por 50 anos;crimes foram cometidos em hospitais, escolas e em um hospício

BBC
O apresentador britânico Jimmy Savile, em foto de arquivo

A polícia britânica afirmou nesta sexta-feira (11) que o apresentador Jimmy Savile, morto em outubro de 2011, cometeu mais de 200 crimes sexuais ao longo de 50 anos, sendo a maioria das vítimas crianças e adolescentes. Os ataques não aconteceram somente nas emissoras para as quais Savile trabalhava, mas também em 14 estabelecimentos médicos, incluindo hospitais e um hospício.

Saiba mais: Lenda da TV é acusado de ter estuprado adolescentes nos anos 60 e 70

Leia: Apurada conduta da BBC em caso de apresentador suspeito de abuso sexual

A abrangência dos crimes sexuais cometidos pelo apresentador, segundo a polícia, "não tem precedentes no Reino Unido". Os agentes registraram 214 crimes supostamente cometidos por Savile, incluindo 34 estupros. Ao todo, 450 vítimas foram à polícia com informações sobre os abusos cometidos pelo apresentador.

O detetive David Gray afirmou também que o número dos crimes cometidos por Savile podem superar os registrados, uma vez que mais vítimas continuam prestando queixas. Peter Spindler, chefe da polícia, disse que as vítimas do apresentador ficam desapontadas por ele não ter enfrentado a Justiça durante sua vida. "Espero que possamos trazer alguma satisfação para as vítimas. As vítimas sentirão certa satisfação por serem ouvidas. Esse caso sórdido demonstrou que quando a vulnerabilidade encontra o poder as consequências podem ser trágicas."

Peter Watt, da Sociedade Nacional para a Prevenção da Crueldade contra Crianças, disse que Savile era um homem "perverso e manipulador" que "engenhosamente construiu sua carreira sobre o abuso a crianças vulneráveis".

Leia também: Astro pop é preso por conexão com escândalo de pedofilia no Reino Unido

Os supostos crimes ocorreram entre 1955 e 2009. As história das vítimas variam desde um menino de 10 anos que disse ter sido abusado após pedir um autógrafo até crianças que afirmaram ter sido tocadas enquanto participavam de um programa de música popular, além de alunas de uma escola para garotas perturbadas a quem supostamente foram oferecidos cigarros e um passeio no automóvel de Savile em troca de sexo.

Savile supostamente cometeu 57 crimes em estabelecimentos médicos, incluindo um hospício, 14 em escolas e 33 em emissoras de rádio ou televisão. Segundo a investigação, 73% das vítimas eram menores de idade.

Entenda: Denúncia de abuso sexual contra apresentador constrange BBC

A divulgação da lista de vítimas é a mais completa desde que surgiram as primeiros acusações contra Savile, apresentador de TV e rádio morto em 2011 aos 84 anos de idade. "Os detalhes fornecidos em relação aos abusos fornecem um quadro de um homem oportunista que usou seu status de celebridade como uma ferramenta poderosa para a coerção e controle das vítimas, usando a vulnerabilidade das pessoas em troca de gratificação sexual", diz o relatório da polícia.

Um relatório paralelo feito pelo procurador Alison Levitt, também publicado nesta sexta, culpou autoridades por não ter investigado as acusações contra Savile de forma mais vigorosa. O relatório de Levitt apponta que várias mulheres falaram à polícia sobre Savile entre 2007 e 2008, mas nenhuma acusação foi levada adiante, em parte porque as mulheres desistiam de servir de testemunhas no tribunal.

Com AP

Leia tudo sobre: savilejimmy savilereino unidoabuso sexualpedofilia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas