Explosões deixam 81 mortos em sala de bilhar em Quetta, Paquistão

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Bombas também ferem mais de 120 pessoas no local. No total, violência desta quinta em Quetta e na Província do Swat deixa total de 115 mortos no país

Duas explosão deixaram ao menos 81 mortos e mais de 120 feridos em uma sala de bilhar em Quetta, capital da Província paquistanesa de Baluquistão. De acordo com o policial Hamid Shakeel, as bombas explodiram com uma diferença de cinco minutos entre si.

Tensão com o rival: Soldado do Paquistão morre por disparos de militares da Índia

AP
Criança paquistanesa ferida em ataque é levada a hospital de Quetta

Drone: Avião não tripulado dos EUA mata militantes no Paquistão

Segundo o policial Mohammed Murtaza, muitas das vítimas são muçulmanas xiitas e morreram ou ficaram feridas quando a segunda bomba fez o prédio entrar em colapso. Neste ano, muçulmanos sunitas radicais aumentaram seus ataques no Baluquistão contra os xiitas, que consideram hereges.

Previamente aos ataques na sala de bilhar, uma bomba que tinha como alvo uma viatura policial deixou 12 mortos e mais de 40 feridos em um mercado de Quetta. Um porta-voz do grupo militante Exército Unido Balúchi disse ter lançado o ataque.

O grupo é um dos vários que lutam pela independência do Baluquistão, uma região empobrecida e árida com reservas importantes de gás, cobre e ouro. A área responde por pouco menos de metade do território paquistanês e abriga cerca de 8 milhões dos 180 milhões de habitantes do país.

Malala Yousafzai: Menina paquistanesa atacada pelo Taleban deixa hospital britânico

O movimento radical islâmico Taleban e grupos armados que o apoiam também realizaram ataques na província, particularmente em áreas perto da fronteira afegã.

Ataque na Província de Swat

Também nesta quinta, outra explosão deixou 22 mortos e mais de 70 feridos durante uma reunião em que um líder religioso discursaria em Mingora, a maior cidade da Província de Swat, no noroeste, disseram a polícia e funcionários do hospital Saidu Sharif.

"O número de mortos pode subir, já que alguns feridos estão em condições críticas e estamos recebendo cada vez mais gente ferida", disse o Dr. Niaz Mohammad.

O último ataque militante a provocar tantas mortes em Swat aconteceu há mais de dois anos. A região montanhosa, anteriormente um destino turístico, vem sendo administrada pelo Exército paquistanês desde uma ofensiva de 2009 que expulsou militantes do Taleban que tinham assumido o controle local.

Mas a milícia islâmica manteve a capacidade de lançar ataques em Swat e disparou contra a estudante ativista Malala Yousufzai em Mingora em outubro.

*Com AP, BBC e Reuters

Leia tudo sobre: paquistãoquettaterrorismoxiitasunita

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas