Avião não tripulado dos EUA mata militantes no Paquistão

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Ao menos sete militantes foram mortos, segundo fontes de inteligência do país; esse foi o quarto ataque com uso de drones no Paquistão desde o começo do ano

Ao menos sete militantes foram mortos em ataques de aviões não-tripulados (drones) americanos na região noroeste do Paquistão, perto da fronteira com o Afeganistão, informaram autoridades do país nesta terça-feira (8). Segundo fontes de inteligência do país, os mísseis atingiram dois complexos próximos à cidade de Mir Ali em Warizistão do Norte.

Leia mais: Avião não tripulado dos EUA mata alto comandante do Taleban no Paquistão

Violência: Sete funcionários de ONG são mortos no Paquistão

AP
Drones têm ajudado as tropas norte-americanas, mas são odiados ao redor do mundo (foto de arquivo)


Saiba também: Paquistão liberta mais quatro afegãos ligados ao Taleban

Segundo a rede britânica BBC, entre os mortos estão dois combatentes estrangeiros, que seriam do Usbequistão. A agência de notícias Reuters, que informa que os ataques mataram oito militantes, diz que um estrangeiro que atuava como treinador tático da Al-Qaeda estaria entre os mortos, mas que ele seria ou da Somália ou dos Emirados Árabes Unidos.

O Waziristão do Norte, área onde o ataque ocorreu, é considerado um reduto de grupos insurgentes que operam no Afeganistão e no Paquistão. É uma das poucas áreas da região tribal que faz fronteira com o Afeganistão na qual o Exército paquistanês não realizou nenhuma operação militar para retirar os militantes, apesar da pressão do governo americano.

O ataque desta terça-feira foi o quarto desde o começo do ano. No domingo, nove paquistaneses do Taleban foram mortos por mísseis lançados de drones americanos em Waziristão do Sul, outra área tribal.

O militante encarregado de treinar homens-bomba para o Taleban paquistanês teria morrido no ataque de domingo, segundo a inteligência do país. No dia 2 de janiero, um outro ataque similar matou Maulvi Nazir, alto comandante dos militantes do Paquistão. Ele era acusado de provocar ataques mortais contra os americanos e outros alvos por meio da fronteira com o Afeganistão. Mas diferente dos outros integrantes do Taleban, ele negociava uma trégua com o Exército paquistanês em 2009 e não atacou as tropas paquistanesas ou alvos domésticos.

Na segunda-feira, o general da reserva dos EUA Stanley McChrystal disse que os drones têm ajudado as tropas norte-americanas, mas são odiados ao redor do mundo e que seu uso em excesso pode ameaçar a segurança dos Estados Unidos.

A opinião no Paquistão é dividida sobre os ataques de drones. Muitos consideram as aeronaves uma agressão à soberania do país, muitas vezes resultando na morte de civis. Outros dizem que os ataques atingem militantes que estão aterrorizando a população em locais onde o Exército paquistanês não pode ir.

Com AP, BBC, e Reuters

Leia tudo sobre: avião não tripuladodronepaquistãoeuatalebanwaziristão do norte

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas