EUA, Rússia, França, Grã-Bretanha, Alemanha e China querem fiscalizar o programa de enriquecimento de urânio do Irã

Reuters

O Irã aceitou realizar conversações com seis potências mundiais sobre seu programa nuclear em janeiro, mas a data e o local ainda serão decididos, informou o principal negociar do país para a questão atômica nesta sexta-feira.

As seis potências querem fiscalizar o programa de enriquecimento de urânio do Irã para garantir que tem finalidade apenas para geração de energia, e já aplicaram diversas sanções contra o país por impedir essa fiscalização.

O Irã nega as acusações ocidentais de que está buscando construir um arsenal nuclear.

Leia mais:  Irã reforça ameaça de fechar Estreito de Ormuz após novas sanções

"Aceitamos que essas conversas sejam realizadas em janeiro, mas até agora os detalhes ainda não foram finalizados", disse o negociador Saeed Jalili, através de um tradutor, durante visita à Índia.

As seis potências --EUA, Rússia, França, Grã-Bretanha, Alemanha e China-- não conseguiram chegar a qualquer acordo com o Irã em três rodadas passadas de negociações desde abril.

Ambas as partes, no entanto, desejam avançar nas conversas, em parte por temerem que o impasse possa resultar em uma ação militar de Israel.

O último encontro das potências com o Irã aconteceu em Moscou. Esse encontro foi seguido por uma reunião técnica em Istambul.

Jalili é o segundo integrante da equipe nuclear do Irã a visitar a Índia em um mês. Ele disse que saudava os fortes laços entre os dois países, mas disse que a Índia não teve nenhum papel sobre a retomada nas negociações nucleares com as potências mundiais.

(Reportagem de Frank Jack Daniel)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.