Presidente da República Centro-Africana se recusa a deixar o cargo

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Porta-voz rejeitou a exigência de rebeldes para que François Bozize deixe o poder, levantando o prospecto de novos conflitos

Reuters

O presidente da República Centro-Africana, François Bozize, recusará sair do poder durante negociações com os rebeldes, disse o seu porta-voz nesta quinta-feira, rejeitando a principal exigência dos insurgentes e levantando o prospecto de uma volta dos combates.

A aliança rebelde Seleka, que acusou Bozize de repudiar um acordo de paz passado, avançou até pouca distância da capital do país rico em minérios nesta semana, antes de se curvar a pressões internacionais para começar as negociações.

Uma semana antes de essas conversas começarem, um porta-voz do partido KNK de Bozize disse que a saída do presidente não estaria na agenda.

"A questão da saída do presidente Bozize... será rejeitada sistematicamente se for proposta", disse à Reuters Cyriac Gonda. "Para nós, a solução é formar um governo de unidade com todos", ele acrescentou, reiterando uma oferta anterior de Bozize de dar postos do governo aos rebeldes.

O porta-voz do CPSK, um dos grupos rebeldes que formam o Seleka, disse na quinta-feira que um acordo de paz não seria possível sem a saída incondicional de Bozize.

O avanço do Seleka, uma aliança de cinco grupos armados, foi a última de uma série de revoltas em um país no centro de uma das regiões mais turbulentas da África.

A República Centro-Africana permanece assolada pela pobreza e o subdesenvolvimento, apesar de suas reservas de diamantes, ouro e outros minerais.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas