Hillary deixa o hospital em Nova York

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Secretária de Estado america estava internada por causa de um coágulo na cabeça, decorrente de uma concussão

Reuters

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, deixou o Hospital Presbiteriano de Nova York onde estava internada, em Nova York, para tratar um coágulo detectado na cabeça após uma concussão. Ela estava acompanhada do marido e ex-presidente Bill Clinton e da filha Chelsea, além de um assessor. Enquanto ainda estava no hospital, Hillary falava com sua equipe por telefone e recebia memorandos, afirmou o Departamento de Estado nesta quarta-feira.

Hillary também falou com duas autoridades estrangeiras - o enviado da ONU à Síria e o primeiro-ministro do Catar - no sábado, um dia antes de o Departamento de Estado revelar o coágulo sanguíneo encontrado entre o cérebro e o crânio.

Leia também: Hillary é internada por causa de um coágulo na cabeça

AP
Coágulo resultou de uma queda, sofrida após Hillary ser acometida por um vírus estomacal


"Ela tem sido bastante ativa no telefone com a equipe e tem recebido documentos, etc", disse a porta-voz do Departamento de Estado, Victoria Nuland, em seu informe diário.

Na noite de domingo foi anunciado que a secretária de Estado, que não é vista em público desde 7 de dezembro, estava internada em um hospital de Nova York para tratamento de um coágulo que se originara de uma concussão ocorrida em meados de dezembro.

A concussão foi resultado de uma doença anterior, descrita pelo Departamento de Estado como infecção estomacal contraída em uma viagem para a Europa, que provocou desidratação e desmaios quando ela voltou para os Estados Unidos.

Em um comunicado divulgado pelo Departamento de Estado na segunda-feira, os médicos que tratam de Hillary disseram estar confiantes em uma recuperação total e que ela receberia alta assim que a dosagem correta de anticoagulantes fosse determinada.

Leia tudo sobre: Hillary ClintonEUA

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas